H2FOZ - Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Aonde ir

Pré-lançamento do Protocolo de Atendimento à Mulher em Situação de Violência será nesta sexta

H2Foz - Renata Thomazi

 

FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

A equipe do CRAM (Centro de Referência em Atendimento à Mulher em Situação de Violência), convida toda comunidade iguaçuense para prestigiar o pré-lançamento do "Protocolo de Atendimento à Mulher em Situação de Violência do Município de Foz do Iguaçu - PR".

O encontro será realizado no auditório da Unioeste, nesta sexta-feira (07) a partir das 14h, e contará com a presença de autoridades do Ministério Público, Tribunal de Justiça do Paraná, Delegacia da Mulher, Instituto Médico Legal (IML), hospitais do município, Secretaria de Direitos Humanos, Patrulha Maria da Penha e representantes da prefeitura de Foz do Iguaçu; órgãos públicos responsáveis pela segurança e atendimento à mulheres no município.

Trabalho conjunto

O desenvolvimento do protocolo é resultado do trabalho conjunto realizado pela equipe do CRAM com o Ministério Público que resultou em uma cartilha de orientação que será distribuída gratuitamente em escolas, em ações no município e em palestras sobre a violência contra mulher.

A assistente social do Ministério Público da comarca de Foz, Francielle Toscan, antecipa que no pré-lançamento haverá capacitação e esclarecimento sobre o fluxo de procedimentos do protocolo. "Ele é fruto de um trabalho coletivo. Assim as mulheres terão um atendimento mais humanizado".

Compromisso

Logo após as autoridades assinarão o termo de compromisso de execução dos procedimentos. Para finalizar o encontro, está prevista a distribuição de uma "mini-cartilha" ilustrando o protocolo, de modo educativo para população. Entretanto esta é uma versão antecedente à cartilha oficial que será lançada apenas em março de 2019, no mês da mulher. "Apenas 10% das mulheres denunciam a violência, todo o resto não é denunciado", conta Francielle.
 

CRAM

De acordo com a coordenadora do CRAM, Kiara Heck, não existia um protocolo de atendimento que alinhasse os procedimentos necessários entre as instituições de segurança e saúde do município. "O protocolo profissionaliza os atendimentos e deixa claro para mulher o que fazer quando passar por alguma violência".

Ela relembra que a estimativa de atendimento do CRAM, até o final deste ano é de 1.300 mulheres. "Atendemos 100 a 120 mulheres mês, é um número bastante alto".

 

#16dias

O pré-lançamento do protocolo compõe o calendário de atividades da campanha global 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. Em 1991, mulheres de diferentes países, reunidas no Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), criaram os 16 dias de ativismo como modo de campanha para promover denúncias e debates sobre as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha em março de 2017, cerca de 500 mulheres sofrem algum tipo de violência por hora, com a média de 8 a 9 mulheres por minuto.

Serviço

Data: 07/12/2018

Horário: 14h

Endereço: Auditório da Unioeste - Avenida Atarquínio Joslin dos Santos, no Lot. Universitário das Américas, 1.300