H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
Professor Afonso
Professor Afonso
Blog Pelo Paraná: Resgate, Sem homicídios, Fundão, Janela, Na mesma, Juiz de garantia e Inseguros

Resgate

O helicóptero da Polícia Militar fez 13 resgates nas praias paranaenses entre os dias 21 e 28 de dezembro. O número deve aumentar com as festas do ano novo e com o Carnaval (na última semana de fevereiro).

Sem homicídios

Outro dado ineteressante. A PM aponta que não houve homicídio no litoral entre 20 e 29 de dezembro. A Polícia Militar diz ainda que os números  de furto (93), roubo (8) e perturbação de sossego (120) e as ocorrências reduziram em 19%, ou seja, 251 a menos em relação ao ano passado. Segundo a PM, aplicativo 190 PR ajudou na redução dos casos.

Dois milhões

As Cataratas do Iguaçu completou ontem dois mihões de visitantes, um recorde histórico. Em 2005, o atrativo turístico recebeu pouco mais um milhão de turistas. As visitas de estrangeiros e alta do dólar - aumentou o fluxo de brasileiros - são apontados como principais razões do aumento de visitantes. A meta da próxima década é quebrar a marca de 3 milhões de visitas.

Fundão

O TSE já publicou resolução com as novas regras para uso do fundo eleitoral de R$ 2 bilhões para as eleições municipais de 2020. Os partidos, por exemplo, não poderão repassar os recursos aos candidatos de outras coligaçõese e a fiscalização dos 30% às candidatas mulheres será mais rigorosa.

Regras

O TSE já definiu o calendário eleitoral. A partir de quarta-feira, 1º de janeiro, as pesquisas eleitorais devem ser registradas no TSE até cinco dias antes da divulgação. A administração pública também fica proibida de distribuir bens, valores ou benefícios gratuitamente. Ficam proibidas ainda a execução de programas sociais por entidade nominalmente vinculada a candidato e a publicidade de órgãos públicos com gastos acima da média.

Janela
De 5 de março até 3 de abril, está aberta a janela partidária (mudança de partido) de vereador para concorrer a eleição majoritária ou proporcional

Na mesma

Levantamento do Paraná Pesquisas, 46% dos brasileiros avaliam que a corrupção no governo Bolsonaro continuou na mesma em relação aos governos anteriores. Para 12%, a corrupção aumentou e para 39,2%, diminuiu. A pesquisa entrevistpu 2222 eleitores entre os dias 14 e 18 de dezembro.

Prioridades

Já o Datafolha aponta que a maioria dos brasileiros acredita que para combater a violência, o governo deve priorizar a criação de empregos e melhoria da educação, e não especificamente na área da segurança. Para 57%, é mais importante investir em áreas sociais do que na segurança. O investimento em polícias é mais importante para 41% . Outros 2% responderam que não sabem.

Não é bem assim
A proposta do governo de taxar o seguro-desemprego que como obrigatória, deverá passar a opcional, segundo o relator da MP que trata do tema, deputado federal Christino Áureo (PP-RJ). “Temos a possibilidade de transformar essa contribuição em opcional. Isso deve ser o que constará no relatório. É um ponto que deve ser aprovado", disse.

Juiz de garantia
"Há muitas críticas sobre o juiz de garantia, sem, contudo, se procurar entender do que se trata. Me parece que afirmar que a divisão de competências atrapalhará as investigações é considerar que um juiz pode ser melhor que o outro; ou seja, é fazer um juízo valorativo entre magistrados” - do ministro do STF, Alexandre de Moraes, em entrevista á imprensa.

Bandeira branca

A maior parte dos consumidores de energia em todo o país terá uma oportunidade de mudar os hábitos e diminuir a conta de luz. Em vigor desde 2018 para grandes consumidores, a tarifa branca de energia será estendida a quase todos os brasileiros em 1º de janeiro. No Paraná, a bandeira branca vai funcionar das 18h às 20h59.

Como funciona

A tarifa branca consiste na redução do preço da energia fora do horário de pico, também chamado de horário de ponta e envolve três faixas de valores. Nos dias úteis, a cobrança da energia será dividida em três faixas de horário: o horário de ponta (tarifa vermelha), entre o fim da tarde e o início da noite; a faixa intermediária (amarela), uma hora antes e uma hora depois do horário de ponta, e o horário fora de ponta (verde), com custo mais baixo no restante do dia.

Devolução

Em seis anos, Operação Lava-Jato fez 269 acordos de colaboração premiada e os delatores já devovleram aos cofres públicos R$ 5,5 bilhões.

Inseguros

A atuação do PCC na fronteira do Brasil e Paraguai no Mato Grosso do Sul, o Ministério Público Federal decidiu transferir sua estrutura de Ponta Porã (MS), na fronteira seca entre os dois países, para Dourados (MS), a 120 km de distância. A decisão partiu do Conselho Superior do MPF e foi acompanhada pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

Da Redação ADI-PR Curitiba
Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

A leitura e a visão do mundo

José Afonso de Oliveira

Lembro-me de que na década de 60, do século passado, havia uma editora muito afamada que tinha um slogan interessante e real, o qual dizia o seguinte: quem não lê não fala, não ouve e não vê.

A leitura é algo recente, no sentido de sua disseminação para todas as pessoas, fato esse que começou a existir somente agora, nestes últimos 500 anos. Foi Gutemberg que, inventando a prensa de tipos móveis, possibilitou que os livros começassem a existir, substituindo pergaminhos que eram escritos à mão nos conventos medievais.

Matinho Lutero popularizou essa nova invenção no momento em que traduziu a Bíblia para o alemão e que, graças aos livros, possibilitou que rapidamente os alemães tivessem acesso a todo esse conhecimento.

Em que pesem todos esses fatos, ainda existem números muito consideráveis no mundo de pessoas analfabetas, o que é uma verdadeira excrescência.

"Com a leitura podemos ter visões de mundo muito mais profundas."

Mas com a leitura podemos ter visões de mundo muito mais profundas, graças aos avanços do conhecimento científico/tecnológico ou mesmo ao sabor de sentimentos e paixões tão bem colocados por toda a literatura internacional.

Passamos assim a ver a sociedade com outras formas muito mais abstratas, pois nem sempre são visíveis, porém as leituras passam a enfocar aspectos muito interessantes.

O número de escritores hoje é enorme; há escritos sobre todos os assuntos, e podemos observar que lançamentos de livros são acontecimentos quase que corriqueiros com presença muito significativa de pessoas bem qualificadas.

Além disso, as universidades aperfeiçoaram, e muito, a arte de escrever com os seus vários cursos de Letras, Literatura... enfim, com o surgimento de um conhecimento bem estruturado e muito aperfeiçoado.

Tudo isso faz com que tenhamos a sensação de vivermos em um mundo muito diferente, muito rico e que caminha, aceleradamente, para novas etapas. Para tanto a introdução dos sistemas informatizados amplia e favorece muito toda a leitura para inúmeras pessoas mundo afora.

Contudo ainda temos culturas, muito antigas e presentes, não alfabetizadas, mas ideográficas, como é o caso do japonês, chinês e árabe. Mesmo assim a leitura nessas culturas avançou muito, constituindo uma nova forma de ver e entender o mundo.

* José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

A pós-verdade

José Afonso de Oliveira

Estamos vivendo momentos bastante críticos e difíceis no atual mundo globalizado. Tudo está em transformação muito rapidamente e novas formas de convivência vão sendo articuladas, mas até o presente momento nada ainda é definitivo.

Uma das questões que tem levantado sérias preocupações diz respeito à chamada pós-verdade, ou seja, vivemos hoje uma contestação generalizada a tudo o que existe.

É verdade que estávamos alicerçados em dois parâmetros fundamentais: a fé e a ciência. A fé que, por longos anos e ainda hoje, concede-nos determinadas verdades e que nos é dado a vivermos segundo preceitos que são organizados tendo como fundamento determinada crença religiosa.

A ciência articulada a partir do Iluminismo, em que vamos afirmar que a razão conduz todo o conhecimento e, por conta disso, definimos o homem como sendo um animal racional.

É bem conhecido que tudo isso organizou um mundo que agora está vivendo uma mudança de época com grande profundidade e intensidade.

É nesse contexto, no qual o passado parece não contar mais e o futuro é completamente incerto, que, de alguma forma, esse clima de incerteza começa a existir na sociedade. Por conta disso, passamos a descaracterizar o existente até o presente momento com a suposição de que poderemos construir algo de novo para novamente servir de fundamento para a convivência social.

Mas isso é muito arriscado e mais ainda perigoso, pois essa incerteza pode nos levar a grandes catástrofes, como já estamos em parte assistindo mundo afora. Pior é que poderemos entender que a verdade simplesmente não existe, não passando de uma mera criação humana para justificar determinadas sociedades.

Ora, a negação da vida humana e, por extensão da sociedade, já foi discutida, com a devida profundidade, por Friedrich Nietzsche, tanto quanto também pelos existencialistas, especialmente por Jean Paul Sartre.

Avança hoje a chamada pós-verdade ao buscar novos procedimentos, novas formas de pensar e entender a vida, possibilitando o surgimento de uma nova sociedade que possa ter a razão e o sentimento como base dessa sociedade, mas razão e sentimento entrelaçados, e não mais separados. Teremos, pois, de viver esperando em que tudo isso vai dar.

* José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

Blog Pelo Paraná: Limpa, Fieis a Bolsonaro, Viaduto em Foz, Campanha, Remédio da maconha, Operação Natal e CPI do JMK

Limpa

O presidente estadual do MDB, João Arruda, afirmou durante encontro em Londrina que fará uma limpa nos diretórios municipais e que não vai abrir mão das "convicções" do partido. "O MDB do Parana será reconstruído. Vamos recomeçar do zero, substituir diretórios e encontrar novas pessoas para nos representar nas eleições do ano que vem. Os interessados em fundo eleitoral e tempo de TV que procurem outra legenda. Não vamos abrir mão das nossas convicções".

Identificação

O secretário  de Segurança Pública, Rômulo Marinho, buscou o setor da inteligência da pasta para identificar os policiais civis que estão ameaçando os deputados estaduais que apoiam a reforma da previdência proposta pelo Governo do Estado. Rômulo Marinho vai abrir sindicância e os policiais envolvidos vão responder pelas ameaças. A punição pode ir de advertência até a exoneração do cargo, dependendo da gravidade dos ataques aos parlamentares.

Fieis a Bolsonaro

Vinte três dos 30 deputados do Paraná em Brasília são fieis ao governo do presidente Jair Bolsonaro nos projetos votados no Congresso Nacional. Entre 98% e 95% das votações conforme orientação da Liderança do Governo, os mais fieis são: Felipe Francischini (PSL), Pedro Lupion (DEM), Vermelho (PSD), Aline Sleutjes  (PSL), Toninho Wandscheer (Pros), Sargento Fahur (PSD), Filipe Barros (PSL), Evandro Roman (PSD), Schiavenato (PP), Sergio Souza (MDB) e Stephanes Junior (PSD).

Santa Casa

O prefeito Neto Haggi (MDB) vai receber hoje do secretário Beto Preto (Saúde) um repasse de R$ 1,4 milhão  do centro cirúrgico da Santa Casa de Cambará.

Viaduto

O governador Ratinho Junior confirmou que estará na sexta-feira, 6, em Foz do Iguaçu para inauguração do viaduto da Avenida Costa e Silva na BR-277. A obra de R$ 18,3 milhões será entregue três meses antes do prazo.

Campanha

Começa a veicular nos próximos dias a campanha educativa da Assembleia Legislativa do Paraná. "A nova comunicação institucional da Assembleia está sendo construída a partir de duas percepções: a primeira, de que boa parte da população paranaense não têm acesso ao trabalho realizado na Casa e não tem certeza do que de fato é feito aqui.

Isso foi constatado por uma pesquisa realizada em todo o estado. E a segunda é de que a Casa precisava ampliar a divulgação de seu trabalho, atendendo inclusive ao que está previsto em lei, que determina transparência e divulgação dos atos", disse o deputado Romanelli (PSB), 1º secretário da Assembleia Legislativa.

Perto do povo

"Com isso buscamos aproximar o Legislativo da população e mostrar inclusive uma série de Leis que foram aprovadas na Assembleia e que melhoram a vida de toda população. Antes de tudo, é uma comunicação para fortalecer a cidadania e a transparência", adianta Romanelli.

Remédio da maconha

O deputado Luciano Ducci (PSB-PR) é relator da matéria, pediu a audiência pública e comissão sobre medicamentos à base de cannabis (maconha) se reúne hoje na Câmara dos Deputados para debater o tema. Ducci  lembra que a Anvisa tem cadastrados 7.786 pacientes e 12.918 pedidos de importação de medicamentos à base de cannabis. “Ano a ano, a agência registra aumento no número de pedidos, o que demonstra que o interesse e a prescrição destes medicamentos também estão em alta”.

Operação Natal

A Polícia Militar do Paraná lançou a Operação Natal 2019 com ações até dia 24 de dezembro em Curitiba, região metropolitana e cidades do interior, concentrando o efetivo nos principais locais de circulação de pessoas, como as áreas comerciais, além dos locais de riscos. No fim de ano, com o comércio aberto até mais tarde, grande circulação de pessoas e dinheiro, é um atrativo para pessoas mal intencionadas. Além do reforço na segurança, a operação recomenda que os consumidores tenham atenção redobrada.

CPI do JMK

O relator da CPI da JMK, deputado Delegado Jacovós (PL), apresenta hoje o relatório com as conclusões das investigações do colegiado e as recomendações aos órgãos competentes para tomada de providências em relação aos indícios de crimes identificados. Segundo o Deputado Soldado Fruet (Pros), presidente da comissão, o ritmo de trabalho do grupo foi bastante intenso. “Foram 46 oitivas, 33 quebras de sigilos e 202 ofícios solicitando diligências e informações a órgãos públicos e empresas privadas, que resultaram em cerca de 30 mil páginas de documentos, além de áudios e vídeos", disse o presidente da CPI.

Paraná Mais Cidades

O Estado conclui as autorizações para liberação de recursos do programa Paraná Mais Cidades. Coordenado pela Casa Civil, o programa é uma parceria com a Assembleia Legislativa e conta com R$ 351 milhões, provenientes do Tesouro Estadual e da devolução de parte do orçamento do legislativo. “A receptividade tem sido muito positiva. Assim como todos os municípios recebem recursos, todos os deputados estaduais têm direito de fazer indicações”, explica o chefe da Casa Civil, Guto Silva. “É um programa que chega de forma ágil e rápida e vai atender milhares de paranaenses”, acrescenta.

Mourão em Curitiba

O general Hamilton Mourão, vice-presidente da República, estará em Curitiba na próxima sexta-feira, 6, e fará palestra sobre o Djia ia Nacional da Justiça e da Família. Mourão receberá ainda o reconhecimento público de “Expoente da Defesa do Estado Democrático de Direito e da Constituição Federal”.

Da Redação ADI-PR Curitiba
Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br

Educação na sociedade do conhecimento

José Afonso de Oliveira

Vive o mundo globalizado o que se denomina como sendo a sociedade do conhecimento. Isso é dito, com toda a clareza, indicando que o conhecimento é hoje a chave do sucesso das sociedades consideradas desenvolvidas.

Isso também quer dizer, do ponto de vista negativo, que sociedades que não alcancem o conhecimento para todos os seus cidadãos estarão à margem de qualquer possibilidade de enriquecimento, seja ele para alguns ou para todos.

Já no século 19, Emile Durkheim falava sobre a importância da educação para a formação da sociedade e afirmava, com base na divisão social do trabalho, que a educação era um instrumento eficaz para colocar cada pessoa dentro do seu contexto social, ou seja, recebendo as características de sua classe social.

Atualmente a educação tem de trabalhar com todos os modernos sistemas informatizados disponíveis, que vão de celulares, passando por computadores mais possantes, até computadores quânticos, que já começam a ser trabalhados.

"Entender que o conhecimento está inserido em determinados contextos históricos e geográficos será algo muito significativo para poder entender a importância dele em todas as sociedades."

Isso vai implicar primeiramente um grande envolvimento dos professores e, mais ainda, dos alunos. Vai gerar um clima de entusiasmo que é muito próprio do descobrimento do ato de conhecer qualquer coisa.

Também vai exigir grandes doses de criatividade porque tudo isso está para ser organizado, praticamente, partindo ainda do nada. É preciso ser construído, mas com absoluta certeza esse é o caminho para a educação, tanto no presente e, mais ainda, no futuro próximo.

Ver os nossos alunos experimentarem todo o conhecimento que vão adquirindo e buscando será um ato de extrema felicidade para eles e, consequentemente, para a sociedade como um todo.

As várias linguagens disponíveis numéricas na matemática ou mesmo tradicionais nos vários idiomas serão aprendidas com grande facilidade, pois os alunos irão perceber a sua dinâmica e grande importância. Daí que sem elas pouco ou nada podemos avançar no desenvolvimento do conhecimento

Entender que o conhecimento está inserido em determinados contextos históricos e geográficos será algo muito significativo para poder entender a importância dele em todas as sociedades.

Claro tudo isso é um novo mundo que se descortina, mas vai deixando para trás as escolas tais como as conhecemos hoje ainda.

* José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

Velocidade nos dias atuais

José Afonso de Oliveira

Vive o mundo hoje uma série de mudanças que estão sendo realizadas a uma velocidade impressionante. Podemos aquilatar isso pensando que a acumulação cultural era realizada cem anos atrás levando já um tempo muito rápido de cem anos.

Atualmente caminhamos dentro do contexto da chamada revolução 5.0, que já está em andamento na China para acumulações culturais que serão realizadas em tempo inferior a 24 horas, ou seja, em alguns minutos.

Ora, isso está proporcionando um ritmo muito acelerado de transformações sociais que são difíceis de serem acompanhadas e que nem sempre são benéficas à sociedade como um todo.

Zygmunt Bauman trabalha o conceito da sociedade líquida, segundo o qual toda essa velocidade produz um efeito muito rápido de mutação, de sorte que a sociedade deixa de ser sólida para se tornar algo líquido. A comparação é muito interessante e bastante pertinente para tudo aquilo que estamos vivendo neste momento.

"Atualmente caminhamos dentro do contexto da chamada revolução 5.0, que já está em andamento na China para acumulações culturais que serão realizadas em tempo inferior a 24 horas, ou seja, em alguns minutos."

As redes sociais aproximam ou distanciam as pessoas. Aproximam no sentido de ampliação da comunicação, permitindo que o mundo agora globalizado seja menor, mais próximo de todas as pessoas.

Distanciam quando as pessoas se fecham nessa forma de comunicação, não exercendo mais qualquer tipo de contato, relação pessoal, eliminando a possibilidade de uma vida social mais integrada, e optando por um enclausuramento, o que impede, em grande parte, qualquer vivência social.

A realidade é que essas grandes transformações estão agora permitindo a acumulação de capitais em parcelas ínfimas da sociedade, gerando, por outro lado, enorme contingente de pessoas vivendo abaixo da linha de pobreza.

De outra forma, os recursos naturais existentes estão sendo exaustivamente utilizados, já se prevendo a sua exclusão, ao mesmo tempo em que as condições naturais de vida no planeta estão sendo modificadas com graves consequências.

Tudo isso sugere a necessidade premente de mudanças de atitudes, de comportamentos, de modo a produzir e gerar a riqueza, de sorte a ser possível obter melhoria de qualidade de vida para todos, ao mesmo tempo em que as condições de sustentação natural do planeta possam ser também modificadas, permitindo uma vida mais longa e saudável para todos.

Isso só pode ser realizado à medida que todos nós, sem exceção, tenhamos entendido que algumas mudanças são urgentes.

* José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

Hedonismo e seus males na sociedade atual

* José Afonso de Oliveira

O hedonismo, ou a busca desenfreada pelo prazer, que existe desde o mundo grego, no qual ele foi gerado, serve hoje de base para toda uma série enorme de atividades.

Mas a confusão se instala no momento em que se confunde prazer com felicidade, e daí parte a derivação de que tendo o prazer por única finalidade da vida, logo sou imensamente feliz.

Aqui aparece uma série de questões restritivas, sendo talvez a primeira delas referente ao hedonismo como a busca pelo prazer entendido como se fosse a sexualidade. Mas podemos avançar informando que há outros prazeres, tais quais a alimentação, o conhecimento, a arte em seu sentido geral nas suas várias e diferentes manifestações, o poder, e por aí vai. Portanto o prazer não é apenas um, e sim múltiplos.

O hedonismo, porém, está focado fortemente sobre o indivíduo, gerando um ser inteiramente isolado, egoísta, sem qualquer tipo de comunicação com outras pessoas.

Agora vamos aos fatos. O hedonismo gerando esse sujeito é excelente para a ampliação do mercado consumidor de bens. Vejamos: ao expor determinado produto para consumo, seja um carro ou um outro objeto qualquer, a propaganda e a publicidade vão insistir nos seus aspectos de realização do prazer, aliando isso à felicidade. Resultado óbvio: teremos seres altamente consumidores sem, por vezes, saberem o motivo pelo qual estão consumindo determinado produto de que não necessitam.

Mas a felicidade pouco ou nada tem a ver com isso, pois o homem verdadeiramente feliz é livre em todas as suas decisões, busca a sua realização na abertura para o outro, sendo solidário e fraterno e buscando a justiça para todos, indistintamente. Por aí podemos aquilatar o quanto é falsa a premissa de que o hedonismo possa nos conduzir à felicidade.

Isso tudo nos induz a pensarmos em novas formas de viver, buscando outros objetivos que não sejam o prazer, em que pese evidentemente a sua importância. Aqui falamos do hedonismo como sendo um prazer descontrolado que acaba deformando o homem e transformando-o num ser inteiramente utilitário sem qualquer outro compromisso com a sociedade.

É preciso construir um outro homem, no qual a felicidade possa ser o seu objetivo, irmanando todos nessa vida que, estando assentada sobre a liberdade humana, é muito mais plena.

Vamos brincar

José Afonso de Oliveira

Isso mesmo, vamos brincar, pois essa atividade é muito importante e necessária para o bem viver em sociedade. É por meio dela que aprendemos também a viver em sociedade, porque quem não brinca, além de ter um humor terrivelmente negativo, não consegue viver bem em coletividade.

Da mais tenra idade até o fim de nossa vida, sempre brincamos. Quando criança, as brincadeiras nas ruas, nos campos de futebol, nas escolas, enfim, em vários e diferentes momentos nos ensinam muitas coisas: por exemplo, a necessidade de outras crianças para jogarmos quer seja futebol ou outros esportes.

Além disso, jogando a gente aprende que as modalidades esportivas – e são várias e diferentes – têm regras estabelecidas e aceitas pelos jogadores, e há autoridade, quer de um jogador, capitão do time no futebol e de um juiz, que decide a respeito de faltas, valida ou não pontos, enfim, detém um poder enorme que não pode nem deve ser contestado.

Na vida adulta também brincamos de formas distintas e bem diferentes.

Em outras brincadeiras, e aqui talvez a criatividade seja muito maior, situações novas são propostas, aceitas por todos os participantes, e os jogos vão acontecendo. Mas brincar é também um excelente exercício de memória, inteligência e, principalmente, criatividade. Isso mesmo, as crianças ficam imaginando situações, geralmente reproduzindo atos da vida adulta a que assistem e reproduzem no seu universo infantil. Imitam professores, médicos, bombeiros e por aí vai, revelando que estão realmente entendendo, no contexto do seu universo, o significado do viver em sociedade.

Mas na vida adulta também brincamos de formas distintas e bem diferentes. Realizamos as festas, que são sempre momentos de intensa alegria, contentamento e nas quais expressamos muito de tudo aquilo que vivemos.

Pensemos em nossas festas religiosas ou laicas, como o carnaval, em que todos vão para as ruas fantasiados, cantando, dançando e expressando a vida da nossa sociedade, especialmente nos sambas-enredos, nos quais contamos a nossa história de uma maneira forte, porém muito agradável.

Brincamos também contando as nossas piadas, em que sempre fazemos crítica social, muito benfeita e que tanto nos diverte. O brincar faz parte da vida, da mesma maneira que o ato de trabalhar, estudar e todas as coisas que realizamos.

* José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

Criatividade

* José Afonso de Oliveira

Ensina-nos Domenico De Masi, em sua obra Criatividade e Grupos Criativos, a importância da criatividade para o momento em que estamos agora vivendo.

É justamente em momento de crise que temos de desenvolver a criatividade, já que várias estruturas existentes não respondem mais às finalidades de sua existência, e assim precisamos propor outras que, evidentemente, ainda não existem.

Mas isso deve ser realizado, prioritariamente, em grupos, não tendo ninguém como mais importante, preparado etc., mas todos com a vivência comum de um determinado ambiente social e suas limitações.

Tomemos como exemplo as escolas, nas quais temos vários e diferentes personagens sociais – que vão desde os alunos até o grupo dirigente. Todos querem aprender, mas nos dias atuais isso está bem mais complexo. Decorrente desse fato é muito interessante que todos possam estar reunidos, discutindo e propondo soluções.

Vamos exercer a criatividade à medida que apresentaremos possíveis soluções que ainda não foram executadas, mas que detêm grandes possibilidades de, ao serem colocadas em prática, apresentar novas condições, conseguindo assim superar a crise existente.

Fica claro aqui que a criatividade parte sempre do nada, visando a realizar uma nova situação. Pensemos, por exemplo, que existem vários personagens sociais que são verdadeiros mestres de criatividade, como os cantores, pintores, artistas, escritores etc. que, do nada, criam as suas obras em sintonia com a sociedade na qual estão inseridos. Não fossem eles, a vida social seria, com certeza, muito mais pesada e talvez mesmo com pinceladas de coisas lúgubres, tristes, sem graça.

A criatividade implica uma questão por vezes difícil, dado o nosso comodismo, pois ela vai nos tirar da zona de conforto em que estamos instalados, já que ela se processa de tudo aquilo diferente do que estamos acostumados, que estamos vivendo, ou seja, ela se constitui em nada.

Mas a sua capacidade de reprodução é algo contínuo, pois de alguma forma a criatividade gera criatividade, constituindo assim um novo tecido social e, no caso atual, uma ou várias redes sociais se conjugarmos a criatividade à utilização de equipamentos informatizados, especialmente com as redes sociais

O conhecimento no mundo atual

* José Afonso de Oliveira

Até muito recentemente ainda era possível viver, e bem, sem deter um conhecimento mais aprimorado. Conhecemos e convivemos com parentes próximos, vizinhos ou mesmo conhecidos que viveram essa realidade.

Atualmente isso é impossível, pois o conhecimento passou a ser uma ferramenta muito importante para bem vivermos em sociedade, termos uma determinada profissão e podermos conquistar estabilidade para progredirmos.

Esse fator é muito recente na humanidade, pois se observarmos notaremos que foi somente nos últimos 500 anos que as sociedades expandiram o letramento entre os seus cidadãos, chegando agora ao ponto de termos muitas sociedades nas quais o analfabetismo é inteiramente desconhecido, para o bem de todos.

Mas conhecimento custa muito caro, há um determinado tempo para ser adquirido, exigindo também uma disciplina e um método próprio para cada área específica.

"Para o Brasil avançar a novos patamares, são necessários – e mesmo fundamentais – altos investimentos na educação para todos".

O que já temos hoje são fórmulas muito eficientes para adquirirmos conhecimento, utilizando instrumentos informatizados. Além disso a educação a distância permite formas de aprendizagem muito eficientes para determinadas profissões, sem a necessidade de prédios, laboratórios, bibliotecas etc., permitindo assim uma enorme expansão do conhecimento para inúmeras pessoas.

Assim, à medida que a nossa sociedade vai modificando-se ultrapassando etapas de um trabalho rotineiro, repetitivo, estamos entrando em novos momentos de trabalho em que a ocupação anterior foi informatizada, mas o surgimento de profissões e processos de trabalho exigem pessoas capacitadas.

Se pensarmos só na própria informática, inúmeros novos empregos foram criados no mundo inteiro, absorvendo pessoas, jovens ou não, homens e mulheres que, em comum, detêm um conhecimento bem avançado, no caso, na área de informática.

Para o Brasil avançar a novos patamares, são necessários – e mesmo fundamentais – altos investimentos na educação para todos, como sendo essa talvez a maior obra a ser realizada agora, cujos frutos já serão colhidos na própria década – mas, sem dúvida alguma,

muitos mais no futuro, com todas as transformações que iremos viver e que ainda não temos a menor ideia de tudo aquilo que nos aguarda.

Para melhor compreendermos, basta pensarmos que muitos de nós vivemos quando ainda não existiam celulares.

José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

X