H2FOZ - Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Professor Afonso

A riqueza das águas

* José Afonso de Oliveira
Foto: Marcos Labanca

A água é essencial para toda a vida, animal e vegetal. Sem ela não há condições de vida no planeta e a sua escassez, conforme já vem ocorrendo, implica condições de vida mais degradadas.

É assim que a água é mais importante do que o petróleo para a sobrevivência da humanidade e da vida como um todo. Entre os países mais ricos em água do planeta, o Brasil ocupa uma posição muito privilegiada com o benefício suplementar de que, não tendo inverno rigoroso, as águas conservam o ano todo a sua forma líquida para plena utilização.

Foz do Iguaçu é banhada por dois rios, sendo o Paraná o sétimo em importância dado o seu grande volume de água. Represado para a formação do Lago de Itaipu, todo ele com um volume muito considerável, é também mais uma reserva de água para uso imediato.

Na parte subterrânea temos o Aquífero Guarani, em solo arenoso, de fácil extração de água, sendo que algumas cidades no Brasil são abastecidas inteiramente com essas águas.

Toda essa riqueza que temos é de múltipla utilização tanto para os habitantes do Brasil como também para a agricultura e pecuária. Além disso, podem e são utilizados como meio de transportes entre várias localidades, pois os rios passam a ser estradas e rodovias naturais para o transporte de pessoas e de mercadorias.

Existem ainda atividades com pouca exploração, como para a prática de várias modalidades esportivas, que vão dando origem a centros de treinamento de canoagem, veleiros, etc., que estão sendo criados Brasil afora.

Mais as águas também abastecem setores industriais como as indústrias de bebidas, que necessitam de grandes quantidades para processarem os seus produtos. Isso pode gerar uma superexploração com consequências nem sempre boas.

Mas a questão hoje complicada é que grande parte de nossas águas está muito poluída com dejetos industriais e urbanos decorrentes da falta de reservatórios apropriados ou de saneamento básico nas cidades. Uma vez contaminadas, dados os seus múltiplos usos, isso tem trazido imensos prejuízos e, pior ainda, os processos de despoluição são bastante complexos e muito caros. 

Assim, a melhor forma de preservação das nossas águas é o conhecimento, para coibir a poluição e manter a limpeza e a boa qualidade da água para uso imediato.

* José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu