Defesa Civil de Foz alerta: alagamentos podem se agravar

Em diversos pontos de Foz estão ocorrendo alagamentos de ruas e até de casas. Foto: Patrícia Iunovich

Aviso é para que as pessoas só saiam de carro se for mesmo necessário.

Já choveu em Foz do Iguaçu, da madrugada até o meio da manhã desta quarta-feira, 23, nada menos que 120 milímetros, quando o registro histórico para o mês de março é de 134 mm.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Evaldo Guimarães, da Defesa Civil de Foz, disse que a chuva intensa, a partir das 7h desta manhã, já provocou inúmeros pontos de alagamento na cidade. A situação pode se agravar nas próximas horas, já que “a tendência é que chova o dia todo, de maneira forte”, informou, em entrevista à Rádio Cultura.

Segundo Guimarães, há pontos de alagamento, nesta manhã, nas avenidas JK e Paraná, nas imediações da Avenida Andradina e em outros locais da cidade. No Porto Meira, há casas inundadas, mas ainda não houve necessidade de realocar alguma família.

Em nota, a Defesa Civil informou, mais tarde, sobre alagamentos também nas avenidas Costa e Silva, Morenitas e José Maria de Brito, entre outras. A água invadiu casas e também prédios públicos, como Cmeis (Centros Municipais de Educação Infantil), além de unidades de saúde. Nenhuma família ficou desabrigada, segundo a Defesa Civil.

O balanço parcial é de três quedas de árvores, sendo duas dentro do Rio Boicy e uma na Avenida Tancredo Neves, cinco lonas distribuídas, um poste caído na Avenida Andradina e 256 imóveis sem energia.

A Defesa Civil confirmou, também, que há previsão de muita chuva para os próximos dois ou três dias. A chuva acumulada pode passar de 250 milímetros, de hoje até sexta-feira, 26, e é provocada por uma frente fria que age sobre a Argentina, o Paraguai e parte do Sul do Brasil.

“Foz do Iguaçu não recebeu nenhum alerta dos institutos de metereologia do Paraná sobre essa possibilidade de chuva. Por conta própria, e com base nos institutos do Paraguai e da Argentina, iniciamos o alerta nesta madrugada. O esperado para três dias era de 250 mm, mas provavelmente passaremos disso”, afirmou Evaldo Guimarães.

A Defesa Civil está em alerta, nas áreas de risco. Foto: PMFI

LIMPEZA DE BUEIROS

Em nota da Prefeitura, o secretário municipal de Obras, Cézar Furlan, explicou que o excesso de chuva dificulta o escoamento da água, por isso as equipes também atuam na desobstrução e limpeza de bueiros.

“Em dias como hoje, uma boca de lobo pequena não suporta a enxurrada de água, mas logo que a chuva acalma, não há mais alagamento”, afirmou. Outra ação realizada frequentemente pela Prefeitura é a limpeza de rios e regiões com risco de alagamentos.

A força de trabalho é composta por servidores das secretarias de Meio Ambiente, Obras, Fazenda e Segurança Pública, além do Corpo de Bombeiros.

RECOMENDAÇÕES

A Defesa Civil de Foz recomenda que a população de Foz só saia de casa se for necessário, porque os alagamentos podem esconder buracos nas pistas, que por sua vez são um risco para os motoristas.

Em caso de alagamentos ou de queda de árvores, a Defesa Civil pode ser acionada, por meio do telefone 199.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.