Onda de calor em Foz fica mais forte. E tem alerta de temporal

6h30 em Foz. O sol já brilha forte. Até aparenta um ar de sádico. Temperatura já em 24 graus. Foto Patrícia Iunovich

Alerta laranja de tempestade em Foz foi divulgado nesta manhã de domingo, pelo Inmet, e vale até segunda-feira.

O texto já estava pronto, sobre a onda de calor que atinge o Sul da América do Sul. E que, para nossa “sorte”, inclui o Oeste do Paraná e, portanto, Foz do Iguaçu.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Mas às 10h15 o Instituto Nacional de Meteorologia divulgou um novo alerta, que se somou ao da onda de calor: “alerta laranja para tempestade”.

Aviso de: Tempestade
Grau de severidade: Perigo
Início: 16/01/2022 10h30
Fim: 17/01/2022 11h

Chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (60-100 km/h), e queda de granizo. Risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos.

MAPA DA TEMPESTADE

O alerta vale para uma região extensa, que incluiparte de Minas e São Paulo e os três estados do Sul. Mapa: Inmet

E O CALOR?

Pois é, o alerta laranja de tempestade veio em acréscimo ao alerta laranja para a onda de calor. Neste caso, no Paraná, só inclui a região Oeste, embora o calor tenha se espalhado por todo o Estado.

Até em Curitiba o domingo está quente, hoje. Temperatura pode chegar aos 30 graus! A cidade é beneficiada por chuvas diárias, hoje e nos próximos dias. Faz calor também em Londrina, no Norte do Estado: 32 graus.

Agora, adivinhe em qual cidade a onda de calor vai pegar mais pesado? Exatamente: Foz do Iguaçu.

Neste domingo, para o Simepar, máxima chega a 33 graus, mas vai pra 37 graus na quarta-feira, 19.

Os outros serviços de meteorologia dão uma “esquentada” na previsão. Para o Climatempo, máxima vai para 36 graus hoje e 37 na segunda-feira.

O CPTEC/Inpe levanta para 38 graus hoje e 39 na segunda-feira.

E o Inmet acompanha o CPTEC/Inpe, na previsão pra hoje, de 38 graus, mas eleva para 41 graus na segunda-feira e 42 graus na terça-feira.

Lembre-se que esta máxima prevista é medida em ambiente controlado, ao abrigo do sol e do vento.

Fora, é outra história. A sensação térmica pode chegar perto de 50 graus, principalmente se a umidade relativa do ar estiver alta, o que acontece em alguns períodos do dia, apesar da estiagem.

Mesmo porque, embora sozinhos nessa, Inmet e Climatempo preveem pancadas de chuva, aquelas típicas de verão, que às vezes a gente nem percebe. Chove no vizinho, a duas quadras de distância, e em casa nem uma gota. Vem acontecendo isso nos últimos dias.

Lembre que a máxima das previsões é em ambiente fechado. Ao sol e ao ar livre, a sensação térmica é bem maior.

BRASIL E VIZINHOS

Embora no Paraná a onda de calor que a Argentina, o Uruguai e o Paraguai enfrentam (e também o Rio Grande do Sul), seja menos intensa, de acordo com o Simepar, a exceção é o Oeste paranaense.

Na Argentina, os meteorologistas consideram que “é uma onda de calor histórica” em todo o país, com temperaturas que passam facilmente os 40 graus e, em algumas regiões, chegam até a 50 graus.

Uma das causas desta calorão é o fenômeno La Niña. O fenômeno está em atuação, ainda. Ele provoca o esfriamento das águas do Oceano Pacífico, o que traz mudanças nas correntes atmosféricas, afetando o clima global.

La Niña é um fenômeno natural, normal. Mas a situação é agravada pelas mudanças climáticas provocadas pelas atividades humanas, como afirma Matilde Rusticucci, doutora em Ciências da Atmosfera e pesquisadora do Consello Nacional de Investigações Científicas e Técnicas da Argentina.

“La Niña altera toda a circulação do hemisfério e faz com que se assente a massa de ar quente por mais tempo, provocando estas ondas de calor tão intensas”, disse Matilde à agência de notícias argentina Télam.

A Argentina e o Uruguai estão há dias em alerta máximo por causa desta forte onda de calor, que também atinge o Paraguai.

E FOZ DO IGUAÇU…

Mapa do calor do Inmet: dessa onda a gente não escapa. E nem os vizinhos do Oeste paranaense.

Embora a maior parte do Paraná não seja incluída no alerta laranja do Inmet, em vigor desde quinta-feira, 13, o Oeste do Paraná está dentro do mapa da onda de calor. O alerta laranja vale até as 11h de segunda-feira, pras regiões mostradas no mapa. Mas Foz deve continuar ainda mais quente.

Se a temperatura for superior a 40 graus, como prevê o Inmet, a máxima em Foz pode ultrapassar a histórica.

Segundo dados históricos do próprio Inmet, a temperatura máxima mais alta registrada em Foz foi de 40 graus, em três datas: 29 de fevereiro de 1978, 9 de fevereiro de 1979 e 7 de dezembro de 2017.

CUIDADOS

Seja temperatura recorde ou não, faz muito calor. E temperaturas altas exigem alguns cuidados com a saúde.

Ao sol, use protetor. Evite exercícios físicos entre 10 e 16h.

E tome muito líquido. E lembre que cerveja não é água. O álcool, ao contrário, desidrata o organismo. Portanto, muita água. E, se gostar, um bom tereré.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.