Seca obriga até animais em perigo de extinção a migrar para cidades, no Paraguai

Ali no alto do ingá tem um tucano faminto, comendo as frutas. Foto ABC Color

Os bichos vão em busca de água e comida, cada vez mais raras em seus habitats.

Os moradores do município de Pilar, departamento de Ñeembucú, a 190 km de Assunção, já se acostumaram à presença de aves que pouco se vê fora de seu habitat, como os tucanos, e também com macacos, entre outros animais silvestres.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

O ABC Color noticia que, devido ao calor intenso na região e à queima de florestas, as fontes de água secaram ou diminuíram. Também há dificuldade para encontrar alimentos, o que obriga diferentes espécies de animais a migrar para áreas urbanas.

Em Pilar, “a cada nascer e pôr do sol, é possível ver centenas de pássaros que chegam à cidade em busca de árvores para pousar e se esconder do calor intenso”, diz o ABC Color.

O que mais impressiona os habitantes são os tucanos, muito atraentes com sua penagem e grande bico coloridos. Já ao chegar, eles pousam em árvores ingás, que nessa época têm muitos frutos.

Ao canto que estas aves emitem, soma-se o grito de lamento dos karaja (macacos), que também vêm à cidade em busca de água e comida.

Condoídas, muitas pessoas oferecem bananas aos macacos, que descem das árvores, pegam as frutas e voltam para o alto, rapidamente.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.