Cultura latino-americana e alta tecnologia

Por José Afonso de Oliveira

Penso que nós, em Foz do Iguaçu, somos muito privilegiados. Estamos localizados no centro da América do Sul, tendo limites e envolvimentos diretos com Ciudad del Este, no Paraguai, e Puerto Iguazú, na Argentina. Isso nos possibilita pensarmos em formas muito interessantes de convivência e intensa aproximação.

Pensemos, por exemplo, no desenvolvimento de algumas práticas culturais que devem ter ampla penetração nos nossos países, mas também na Europa principalmente.

Formamos povos de grandes culturas e amplas diversidades, tanto no passado quanto também agora no presente, e estamos projetando um futuro de aproximação e maior convivência.

Isso significa que podemos pensar em organizar cursos, festivais, congressos… com foco nas nossas diversidades culturais. Pensar, por exemplo, no nosso passado comum e aí revivermos aquilo que foi uma grande e importante experiência no mundo colonial luso-espanhol que foram as Reduções Jesuíticas dos Índios Guaranis, que ainda têm muita coisa a ser descoberta, mas que, felizmente, possuem aspectos significativos para a nossa realidade social atual.

À medida que a nossa Unila se concretiza cada vez mais, é justo pensarmos que também por meio dela podemos trabalhar com maior envolvimento e profundidade nos aspectos culturais nos quais estamos todos envolvidos.

Nesse sentido é só pensar na musicalidade que temos em nossas veias, na nossa rica e bela literatura, artes plásticas, nas concepções estéticas que dão um novo sentido ao existir dos povos latino-americanos.

Tudo isso e muito mais motivam as nossas inteligências e vontades no sentido de podermos construir quadros novos de pensamento cultural que sejam também capazes de dar sustentação às nossas novas formas de convivência social e geração de riquezas materiais. Mas temos sim um forte e belíssimo imaginário social que sustenta as nossas sociedades e que precisa, com a devida urgência, ser trabalhado para criarmos novas situações de ampla convivência aproveitando as aproximações que já estão existindo.

Isso deve mesmo envolver a todos nós cidadãos latino-americanos num projeto comum no contexto do atual mundo globalizado propondo novas formas de sociabilidade mesmo contando com grandes diferenças culturais e sociais.

* José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.

Alexandre Palmar - H2FOZ

Alexandre Palmar é repórter e editor do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.