Cultura universitária

Prof. José Afonso de Oliveira

Atualmente já temos algo em torno de 30 anos de vida universitária na cidade. É bem verdade que nesse tempo as universidades foram sendo organizadas com maior ou menor aceleração, com cursos de várias e diferentes especialidades.

Em todo esse período uma cultura universitária foi, muito lentamente, sendo disseminada na sociedade, mas tendo ainda pouco envolvimento no sentido de agregar grupos e pessoas.

É verdade que a cultura universitária, muitas vezes, destoa do pensamento social, causando, por isso mesmo, determinados focos de conflitos. No entanto é sempre de um grande enriquecimento à medida que promove pessoas, pensamentos, fatos culturais que são sempre de máxima importância para a sociedade.

Ainda não temos, por exemplo, locais apropriados como bares e espaços não oficiais para a convivência diária de universitários, propondo assim alternativas de pensamento e expressão cultural.

Evidente que, independentemente da vontade das pessoas, isso acaba acontecendo e um pouco já se pode notar, mas a tendência é que não somente se incorpore essa ideia na cidade como ela tenda à expansão.

Isso vai possibilitar toda uma série de práticas culturais, musicais, artísticas, teatrais, com debates, conferências, apresentações que podem ter um perfil muito próprio para encarnar uma realidade que se faz presente na cidade, no contexto de formação cultural da América Latina.

Essa latinidade que, para nós brasileiros, tem um tom de ser inédita é muito mais forte em toda a sociedade hispânica americana, mas que, nos momentos presentes da globalização, faz-se necessária como afirmação de povos de fronteiras deste nosso mundo atual.

Isso vai ensejar a realização também de eventos maiores, mais envolventes, como festivais de várias e diferentes atrações como sejam a música, a poesia, o teatro, o cinema, enfim, encontro de trabalhadores, empreendedores artísticos… tudo isso em uma cidade irmanada com suas vizinhas Puerto Iguazú e Ciudad del Este que darão um cunho muito especial a esses novos empreendimentos.

Bom pensar que hoje Foz do Iguaçu caminha também para ser um grande centro universitário inovador com a presença do PTI e toda a influência que temos em nossa região. Podemos e devemos ser aglutinadores dessas novas realidades, que vão permitir uma maior aproximação dos nossos povos.

José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu. 

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Professor Afonso

José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo do autor.

Professor Afonso tem 0 posts e contando. Ver todos os posts de Professor Afonso

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.