Educação é tudo

No atual mundo globalizado em que estamos todos inseridos, o conhecimento passa a ser essencial para a vida em sociedade. Se, em passado recente, o conhecimento era importante, agora, mais do que nunca, ele se transforma em meio de vida para alavancar todo o desenvolvimento da sociedade, de sorte que, sem ele, nada podemos almejar.

Mas grande parte do conhecimento necessário hoje é adquirido nos sistemas educacionais existentes em nossas escolas e universidades – que, dessa forma, passam a ter um papel central na sociedade.

Neste momento em que estamos vivendo com a pandemia, a abertura das escolas e universidades é algo temerário e bastante arriscado dadas as características muito violentas dessa doença, que atinge seriamente muitas pessoas e contra a qual, por conta da baixa vacinação, ainda não temos imunidade em larga escala.

Portanto estamos optando, enquanto coletividade, por corrermos o risco da expansão ainda maior da pandemia com suas trágicas consequências. Mas, como tudo na sociedade, estamos igualmente assistindo a uma transformação na educação com a utilização, em larga escala, da informática, que veio para ficar.

Evidentemente que muito ainda há o que fazer para ampliarmos a sua utilização por todos, já sendo possível vislumbrar uma educação a distância sem necessidade de prédios escolares, horários, disciplina etc. Embora esses ainda sejam necessários, já temos outros sistemas eficientes de aprendizagem.

Bom sempre lembrar que sistemas educacionais são grandes geradores de empregos, o que é necessário também para o desenvolvimento social, independentemente se esses fatores serão presenciais ou a distância.

Mas precisamos pensar que atualmente vivemos a educação como um direito para todos os cidadãos, portanto, se privada ou pública, isso remete a formas de administração, e não para alguns ou para todos. Na verdade, como direito é para todos, indistintamente e mesmo fora das idades apropriadas, pois hoje é possível e viável educar em qualquer momento e em qualquer idade.

Só seremos uma sociedade próspera à medida que todos os nossos cidadãos estejam devidamente educados, o que vai também possibilitar a entrada em novas formas de produção e de trabalho já existentes, nas quais a informática passa a ser essencial.

* José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.

________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.