Educar sempre

Tivemos em nosso passado monárquico um imperador, D. Pedro II, muito preocupado com a educação do povo brasileiro e que afirmava, taxativamente, que se não fosse imperador seria professor. Homem de grande cultura, empenhou-se pessoalmente e financiou com seus recursos muitos estudantes do Brasil.

Getúlio Vargas quando presidente entendeu que eram necessários grandes investimentos na educação, que seria pública e gratuita para todos os brasileiros, independentemente de qualquer situação. Essa forma jamais eliminou a manutenção e expansão de uma educação privada, religiosa ou não, de sorte que pudemos construir uma nova educação de massa para atender todos os brasileiros que estivessem em idade escolar.

Tudo isso existiu, foi importante, mas, infelizmente, não resolveu o nosso problema educacional – com elevadas taxas de analfabetismo e grande evasão escolar, de maneira que não pudemos nunca ter uma educação para todos.

Hoje percebemos que esse hoje é um dos graves problemas da nossa sociedade, que não consegue avançar rumo aos países mais desenvolvidos e poderosos do mundo. Atualmente, mais do que nunca, a educação é instrumento essencial para termos uma sociedade mais próspera e equilibrada, pois neste momento no mundo globalizado o conhecimento passou a ser uma ferramenta muito importante.

É com a pandemia do coronavírus que estamos vivendo uma nova realidade educacional, época em que conseguimos introduzir o ensino informatizado no nosso sistema de educação. Aulas a distância passaram a ser uma nova forma de aprendizagem, que veio para ficar, definitivamente. Não é mais possível voltar atrás, mesmo cientes de que as aulas presenciais em nossas escolas e universidades, quando voltarem, terão ampla importância, mas os sistemas educacionais serão outros, com a informática sendo cada vez mais aperfeiçoada e intensamente utilizada.

É muito bom pensar que estamos tendo em mãos uma tecnologia muito eficaz para conseguirmos educar todo o nosso povo e assim alçarmos voos mais altos rumo a uma sociedade mais rica e que permita uma melhor convivência com todas as pessoas. Isso já é realidade e será muito mais presente para as gerações futuras, que terão amplo acesso a sistemas educacionais eficientes para uma nova sociedade que está sendo agora construída.

* José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.

________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]