Eleições difíceis

Prof. José Afonso de Oliveira

Estamos vivendo tempos de mudanças, transformações muito radicais da sociedade estão em andamento, causando turbulências para todos os gostos e lugares.

Evidente que o Brasil não poderia estar ausente, até mesmo porque desempenha atualmente um grande papel no mundo ocidental. Todas essas transformações estão ancoradas nos avanços do conhecimento científico/tecnológico que estão em andamento e que são absolutamente impossíveis de serem contidos. Estamos vivendo em sociedades em rede, sendo que isso permite novos avanços. A sociedade em rede pode ser comparada às redes elétricas, que ao chegarem às nossas residências, cidades e fábricas causaram grandes mudanças.

Isso acaba gerando, conforme estamos verificando, ampliação das desigualdades sociais, miséria, tendo por base as crescentes taxas de desemprego e os aumentos do endividamento do Estado. Isso falamos de um modo geral, pois que, em maior ou menor atuação, são visíveis em todos os países ocidentais.

Ante tudo isso, que é uma realidade no Brasil, temos a necessidade de escolher nossas autoridades. Isso tem de ser feito, pois buscamos e estamos em caminhos democráticos, e qualquer outra forma realiza uma ruptura da sociedade com gravíssimas consequências. 

Portanto temos sim de votar e, por conta disso e ante toda essa crise que estamos vivendo, devemos rejeitar as medidas propostas sem fundamento, com radicalidade, que não permitem discussões sobre novas soluções.

De igual forma devemos rejeitar as figuras muito conhecidas de políticos profissionais que estão no poder já faz algum tempo e nada realizaram para a sociedade.

É preciso ver, observar todos aqueles que estão propondo alternativas para sabermos até que ponto elas podem ser executadas. Para isso é importante também verificar o passado do candidato, tanto quanto a sua atuação neste momento que estamos vivendo.

As divergências na sociedade são grandes, não devem ser radicalizadas sob pena de uma violência que possa escapar dos controles do Estado, gerando um caos de difícil solução. A mediação dessas divergências é exatamente o poder na sociedade que deve sempre buscar atender aos interesses da maioria.

José Afonso de Oliveira é professor em Foz do Iguaçu.

Alexandre Palmar - H2FOZ

Alexandre Palmar é jornalista em Foz do Iguaçu. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo do autor.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.