Melhorias para Foz do Iguaçu

Agora que estamos completando 107 anos de existência, é preciso pensar em Foz do Iguaçu para o presente, tendo em vista um futuro melhor para todos.

Entre os vários problemas que temos, o transporte coletivo precisa ser eficiente e, para tanto, ser melhorado. Atendendo apenas a cerca de 10% da população, ele tem tudo para crescer, melhorar e ter assim mais lucratividade. Para isso, a prefeitura deve apresentar as suas propostas de melhorias, vigiando o seu cumprimento total.

Temos de regularizar a vida dos moradores da invasão do Bubas, pois essas pessoas requerem condições dignas de vida. A infraestrutura de água, luz e esgoto, bem como a construção de habitações e todos os implementos urbanos, sejam escola, posto de saúde, enfim, dotar todos aqueles habitantes da cidade de boas condições de vida.

Devemos também ampliar o atendimento aos pequenos comerciantes e industriais de nossa cidade, ofertando cursos e aperfeiçoando os serviços, tudo isso por meio de projetos da ACIFI, pois eles também representam o nosso desenvolvimento socioeconômico.

Já temos na cidade uma massa crítica na área de informática; aliás, muito bem formada, para criarmos um centro de alta tecnologia nesse que é um setor crucial no mundo atual. Agora com a ampliação do trabalho com as redes sociais, expandindo para os setores de educação e saúde, mais do que nunca empresários são chamados a realizarem investimentos nessa área que vai beneficiar, e muito, os setores de hotelaria e turismo.

Tendo igualmente formado cidadãos nas áreas de biologia, podemos aventar a ideia de constituição de um grande centro internacional de estudos, pesquisas, junto ao Parque Nacional do Iguaçu, atrelando as universidades a todo esse empreendimento. A presença de cientistas e estudantes internacionais movimentará os setores de hotelaria da cidade, permanentemente.

A criação de um centro de estudos das Reduções Jesuíticas com viagens organizadas a Trinidad, no Paraguai, e Santo Inácio Mini, na Argentina, será muito interessante e um grande incremento aos setores de turismo e hotelaria.

Agora, mais do que nunca, é tempo de pensar grande, propor ações que possam criar melhores condições de vida para todos os habitantes da cidade, projetando Foz do Iguaçu em âmbito global.

*José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.

________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected].

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.