O poder da imagem

Artigo reflete sobre "força" da imagem (Foto: Pixabay )

José Afonso de Oliveira

Mais do que nunca, hoje vivemos intensamente com as várias imagens que produzimos. Se em séculos anteriores a linguagem escrita era determinante em nossa comunicação, atualmente a imagem representa exatamente essa liderança em nossas relações sociais.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Até certo ponto a imagem fala por si mesma, dependendo do que estamos trabalhando, sendo que exatamente em cima disso é que age a publicidade nos dias atuais. São sempre imagens sugestivas que induzem a um consumo, na maioria das vezes sem nenhum controle.

Mas a imagem vai muito além de tudo isso, refletindo – com a devida clareza o que pensa a sociedade – naquilo que alguns cientistas denominam de imaginário social. É como se fosse o inconsciente coletivo da sociedade, e essa ideia tem a sua origem última nos estudos realizados por Freud quando analisa o subconsciente individual das pessoas.

Atualmente, porém, a imagem está presente em todos os nossos equipamentos informatizados, sendo talvez os mais usuais os nossos celulares. É comum nos depararmos com pessoas inteiramente alheias ao que ocorre no seu entorno quando estão “mergulhadas” em seu aparelho celular. Mais do que textos, são as imagens que cumprem a função de comunicar e de promover o relacionamento entre as pessoas. Não há mais tempo para grandes leituras, daí também a superficialidade das nossas relações sociais atuais.

De alguma forma passamos a criar um mundo inexistente, de perfil globalizado acreditando de maneira não crítica que tudo o que estamos vendo é a realidade existente. É dessa concepção que nascem as ideias falsas hoje abundantes em nossa comunicação, de sorte que fica muito difícil saber o que é certo, existente, e o que errado e inexistente.

Por conta disso podemos ter ideias inteiramente equivocadas sobre vários assuntos pertinentes à nossa existência, com graves consequências, pois elas induzem ao erro, exatamente à medida que desconhecemos a realidade em que estamos inseridos.

Evidentemente que essa nova comunicação com imagens é fabulosa, mas temos sempre de estar atentos e antenados para os problemas que possam existir, e nada melhor do que confrontarmos as imagens veiculadas com alguns textos explicativos que também existem em profusão nos meios informatizados. E será sempre essa, daqui para frente, a nova relação existente nas sociedades.

José Afonso de Oliveira é sociólogo e professor universitário em Foz do Iguaçu.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Professor Afonso

José Afonso de Oliveira é professor e sociólogo em Foz do Iguaçu. E-mail: [email protected] Veja mais conteúdo do autor.