Uma grande aula de tecnologia ao vivo

Prof. José Afonso de Oliveira – OPINIÃO

Temos em Foz do Iguaçu a maior produção e distribuição de energia do planeta. Isso mesmo, com a produção da Usina Hidrelétrica de Itaipu produzimos energia para abastecermos o Paraguai e cerca de 17% do Brasil, o que possibilitou o grande desenvolvimento de nossa economia industrial, especialmente no eixo Rio-São Paulo.

Tudo isso requer alta tecnologia de geração de energia 24 horas, 365 dias do ano, não podendo jamais parar. É uma produção sem qualquer tipo de interrupção e com a finalidade de manter as indústrias produzindo e as cidades em pleno funcionamento. Trata-se, portanto, de algo surpreendente em vários e diferentes sentidos.

Aqui foram desenvolvidas tecnologias de construção civil, possibilitando não só a construção da hidrelétrica como a aquisição de conhecimento especializado, colocando o Brasil em uma situação muito favorável na área de construção de hidroelétricas em todo o mundo.

Temos ainda uma grande e moderna central de distribuição de energia aqui na cidade, administrada por Furnas, o que permite toda a segurança e eficiência nessa distribuição, setor vital para o abastecimento do Brasil.

Toda essa moderna tecnologia de produção e distribuição de energia pode ser visitada, tanto por qualquer interessado quanto por grupos mais especializados, com atendimentos diversificados com o objetivo de sempre bem atender.

Estudantes de engenharia, em suas várias e diferentes formas, têm em Foz do Iguaçu um grande e moderno laboratório a céu aberto nas áreas de produção e distribuição de energia elétrica.

Esse deve ser um fator importante para todo o segmento de turismo e hotelaria visando a buscar contatos, fora da cidade, com a finalidade de aqui poderem ser dadas aulas muito especiais, pois o cenário científico/tecnológico é exuberante e único em todo o mundo.

É também por conta disso que a Itaipu tem um circuito turístico composto de vários atrativos, todos localizados na área do empreendimento, justamente com a proposta de servirem como complemento para uma educação muito mais ampla, buscando eficiência.

Esse é o desenho básico de uma nova perspectiva do desenvolvimento do turismo na cidade, onde a busca por novos visitantes requer todo um grande trabalho de melhoria muito significativa dos atrativos e do atendimento aqui oferecido.

* José Afonso de Oliveira é Professor e sociólogo em Foz do Iguaçu.

________________________________

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do H2FOZ.

Quer divulgar a sua opinião. Envie o seu artigo para o e-mail [email protected]

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.