70% dos mortos por covid-19 no Paraguai haviam tomado medicamentos por conta própria

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Cerca de 70% das pessoas que morrem por covid-19 se automedicaram e, quando chegam aos hospitais do Paraguai, estão com sintomas graves e vão direto pras UTIs.

Ante as primeiras suspeitas de ter contraído o novo coronavírus, elas se “polimedicaram”, isto é, tomaram uma série de remédios por conta própria, informou o diretor de Vigilância da Saúde do Paraguai, Guillermo Sequera, segundo reportagem do ABC Color.

Sequera falou sobre o alto número de automedicados que morrem para explicar o risco de utilizar “kits covid”, que proliferam à venda no país, principalmente em Alto Paraná, cuja capital é Ciudad del Este.

Os mortos por covid-19 em Alto Paraná, principalmente, “já chegaram em situação crítica depois de se polimedicar”, disse o especialista.

Esses pacientes, antes de entrar na UTI, “passaram um mês tomando ivermectina e hidroxicloroquina”, afirmou o diretor de Vigilância da Saúde. Quando a doença se agravou e procuraram ajuda médica era tarde demais.

Essas pessoas acreditaram nas redes sociais e até em autoridades, como o governador de Alto Paraná, Roberto González Vaesken. O governador incentiva o uso de ivermectina, que ele tomou quando contraiu a covid-19.

O jornalista Ronildo Pimentel publicou num grupo de WhatsApp a foto destes dois manifestantes, em Curitiba, defendendo medicamentos que não têm comprovação científica e dizendo “não queremos a vacina”. Eles, pode ser que não queiram. Quem tem um QI maior do que de uma ameba pensa diferente. O contrassenso, se “há remédios” por que utilizam máscaras?  Aliás, ao menos isso, apregoam bobagem, mas agem corretamente – foto Eduardo Matysiak/Futura Press

Parasita intestinal

A ivermectina é usada em todos os pacientes internados, para evitar um parasita intestinal. Não cura a covid-19.

A agência de notícias IP, do governo paraguaio, esclareceu que a ivermectina é usada nos hospitais que tratam covid-19 para evitar a hiperinfestação por um parasita endêmico no país, o Strongyloides stercoralis, que provoca parasitose intestinal.

Essa parasitose acomete crianças e adultos de qualquer idade e pode ser perigosa em pessoas imunodeprimidas, como as portadoras de covid-19.

“A ivermectina não é utilizada como tratamento de covid-19, mas faz parte do tratamento de pessoas internadas – e em doses específicas, estabelecidas em documentos do Ministério da Saúde”, explica a Vigilância da Saúde do Paraguai.

A única forma de evitar o contágio do vírus é utiizar máscaras, lavar sempre as mãos com água e sabão e evitar aglomerações, mantendo distanciamento físico.

Mesmo com esses cuidados, se houver sintomas ou quadros que possam representar futuras complicações, deve-se procurar ajuda hospitalar.

 

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.