Covid-19: Anvisa autoriza, e vacina da Pfizer pode ser aplicada em crianças de 5 a 11 anos

A vacina para crianças tem dosagem e composição diferentes da aplicada em maiores de 12 anos - Foto: Agência Brasil/Agência Saúde DF
Siga a gente no

Agência sanitária consultou especialistas de outras instituições, como os da Sociedade Brasileira de Pediatria, para considerar que o imunizante é seguro e eficaz para o público infantil.

Os laboratórios Pfizer e BioNTech receberam a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso da vacina Comirnaty, contra a covid-19, em crianças com idade de 5 a 11 anos. A decisão foi comunicada nesta quinta-feira, 16, em resposta a pedido formulado pelos fabricantes no último mês de novembro.

A agência brasileira fez a avaliação técnica para o uso do imunizante no público infantil. Segundo o órgão, atuaram na análise especialistas da própria Anvisa e convidados de algumas instituições de pesquisa, a exemplo da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI), entre outras.

A aprovação permite o início do uso da vacina no Brasil para crianças de 5 a 11 anos. Conforme a agência sanitária, com base no estudo da equipe técnica, “as informações avaliadas indicam que a vacina é segura e eficaz para o público infantil”. O resultado apontou que a eficácia gira em torno de 90%, similar ao observado nos demais públicos imunizados no país.

“A autorização veio após uma análise técnica criteriosa de dados e estudos clínicos conduzidos pelo laboratório”, relatou a Anvisa. A vacina para crianças tem dosagem e composição diferentes das aplicadas em pessoas com mais de 12 anos, devendo prever duas doses de 0,2ml (equivalente a dez microgramas), com pelo menos 21 dias de intervalo entre as administrações do medicamento.

O grupo de especialistas que contribuiu com a Anvisa para avaliar a ampliação da faixa etária da vacina teve acesso aos dados dos estudos e resultados apresentados pelo laboratório. Esse olhar externo foi um critério adicional usado pela agência para “que o uso da vacina por crianças fosse aprovado dentro dos mais rigorosos critérios, considerando para isso o conhecimento de profissionais médicos que atuam no dia a dia com crianças e imunização”.

O início do calendário de vacinação para crianças de 5 a 11 anos no país e da logística depende do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde. O órgão federal é responsável pela gestão do processo vacinal por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

-->