Covid-19: Hospital Costa Cavalcanti vai abrir mais dez leitos de UTI

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu em Foz do Iguaçu, abriu nesta quarta-feira (3) mais quatro leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), exclusivos para atendimento de pacientes graves ou críticos da covid-19. Outros seis serão abertos até segunda-feira, dia 8, totalizando dez novos leitos para pacientes agravados pelas complicações do coronavírus.

Com a ampliação, o número de leitos de terapia intensiva para doentes de covid-19 no Costa Cavalcanti passará de 40 para 50, permanecendo 22 leitos de unidade de enfermaria. “Com a redução dos internamentos eletivos e de procedimentos cirúrgicos, e o aumento do número de internações por covid-19, foi possível readequar um bloco de internamento para pacientes com covid-19”, disse o diretor do hospital, Fernando Cossa.

Atendimento regional

Desde o início da pandemia, mais de 16 mil pessoas procuraram o Costa Cavalcanti para atendimento respiratório. De 873 casos internados, desde o início da pandemia, 764 pacientes eram de Foz do Iguaçu e o restante de pessoas de outras cidades do Paraná, como Santa Terezinha, Medianeira, Santa Helena, Toledo, Cascavel e Palotina. T

Também foram tratadas pessoas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Desde o início da pandemia, a instituição deu alta a mais de 640 altas de pacientes internados com a covid-19.
Já o Centro de Medicina Tropical (CMT), que é ligado ao HMCC e recebe suporte da Itaipu Binacional, realizou 52.726 mil exames de RT-PCR – 24.538 deles de municípios que compõem a 9ª Regional de Saúde. U, total de 28.188 testes foi coletado diretamente no centro hospitalar. Desde março de 2020, o CMT está habilitado pelo Laboratório Central do Estado (LACEN/PR) para analisar os exames RT-PCR para covid-19.


APORTE PARA A FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE

Recursos serão utilizados para compra de medicamentos e insumos para pacientes com covid-19 do Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

A Itaipu vai repassar, por meio de convênio, R$ 15 milhões para a Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu, em um período de seis meses. A medida foi autorizada em reunião de Diretoria Executiva, na quarta-feira (3).

Com isso, a margem brasileira da empresa amplia os esforços da força-tarefa do Paraná no enfrentamento ao novo coronavírus, especialmente na região de fronteira. No total, a Itaipu investiu quase R$ 80 milhões em diversas ações para combater a covid-19 e minimizar seus efeitos, tornando-se a principal parceira dos municípios da região.

“Desde o início da pandemia, o papel da Itaipu tem sido fundamental para atender às demandas pontuais da área de saúde, mas que também deixam legado para a população”, diz o coordenador do Grupo de Trabalho da Covid-19, coronel Aureo Ferreira, assessor especial do general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral brasileiro de Itaipu. “São investimentos tanto pontuais quanto permanentes, que ficarão mesmo depois que a pandemia passar.”

O plano de contingência apresentado pelo município e prontamente atendido pela Itaipu prevê a aquisição de medicamentos e insumos para demandas de pacientes com covid-19 internados no Hospital Municipal Padre Germano Lauck. A unidade hospitalar é considerada referência pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O prefeito Chico Brasileiro disse, ao ver atendido seu pedido por Itaipu, que “esse convênio veio na hora certa, porque o Hospital Municipal poderia colapsar. Só temos a agradecer à Itaipu pela pronta resposta, que será fundamental para garantir atendimento humanizado à população”, diz o prefeito.

ITAIPU E UNIOESTE ABREM PARCERIA E FRENTES DE TRABALHO

A Itaipu também destinou mais R$ 2,4 milhões para uma ação conjunta com a Unioeste e a Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu, fundamentada em três frentes de trabalho.

A primeira delas é a manutenção de 70 bolsistas da área de saúde em Foz do Iguaçu, que fazem a triagem e dão orientação à população, em atendimento remoto e presencial, relacionado à covid-19. Outra é a atuação de 30 bolsistas egressos do curso de enfermagem para o trabalho em UTIs de covid-19.

Por fim, outra ação prevista neste mesmo convênio é a contratação de duas equipes de saúde domiciliar no atendimento preventivo, especialmente nos casos de grupos de risco, para evitar que pessoas idosas precisem buscar atendimento nos hospitais.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.