Covid-19: Paraguai piora ainda mais. Brasil e Argentina estão bem

Nem com a vacinação de casa em casa o Paraguai consegue melhorar o índice de imunizados. Foto Ministério de Saúde do Paraguai

O número de mortes por milhão de habitantes chegou a 10, no Paraguai, ante 4 no Brasil e 3 na Argentina.

O Paraguai registrou na terça-feira, 21, mais cinco mortes por covid-19. Um dos mortos tinha idade entre 40 e 59 anos e não era vacinado. Dos outros quatro, todos com mais de 60 anos, só um tinha se vacinado com duas doses.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Entre os 117 paraguaios internados com a doença, 51 estão em UTI. Desses 51, 32 não são vacinados, 15 receberam imunização completa e 4 só uma dose.

Em todos os informes do Ministério da Saúde do Paraguai, as vítimas fatais os internamentos por covid-19 são na maioria de pessoas não vacinadas ou com apenas uma dose.

Mesmo assim, os paraguaios resistem a se vacinar. Não por acaso, o país tem um baixo índice de vacinação: 48% da população imunizada com uma dose e 40% com as duas.

Isso, apesar de todo o esforço do Ministério da Saúde, que instala vacinatórios em locais onde há concentração de pessoas, como na peregrinação a Caacupé, e chega a fazer vacinação de casa em casa.

Na Argentina, imunização com uma dose já chega a 83% da população; com duas doses, a quase 70%.

No Brasil, são 77% vacinados com uma dose e 66% com duas, índices superiores aos dos Estados Unidos e Israel.

NA SEMANA

Argentina: 37.858 casos nos últimos sete dias, aumento de 87% na comparação com a semana passada. Houve também 47.004 óbitos, queda de 5%. Proporcionalmente à população, a Argentina tem 827 casos e 3 óbitos a cada 1 milhão de habitantes. O Worldometers faz o cálculo com base em 45.805.162 habitantes.

Brasil: 23.702 casos na semana, queda de 38% em relação à semana anterior, e 870 mortes, redução de 17%. Com esses números, o Brasil apresenta 110 casos e 4 óbitos por milhão de habitantes. O Worldometers estima que somos 214.779.935 brasileiros.

Paraguai: 867 casos na semana, aumento de 94% na comparação com a semana anterior, e 32 mortes, 125% a mais. Os números na semana mostram que o Paraguai tem 119 casos e 10 mortes por milhão de habitantes. O número de habitantes considerado pelo Worldometers é 7.261.240.

Na primeira semana de dezembro, o Paraguai aparecia com o índice de 3 óbitos por milhão de habitantes.

Considerando os números absolutos, o Brasil está em 31º lugar na semana, em casos, entre os 208 países e territórios analisados. Em mortes, contudo, está em 12º lugar, confirmando que a letalidade da covid-19 é mais elevada aqui do que em outros países.

Argentina está em 21º em casos e em 44º em mortes.

Paraguai está em 115º em casos e em 56º em óbitos.

A letalidade no Paraguai é semelhante à do Brasil. A doença mata mais que na Argentina e em países europeus.

NO MUNDO

Onde há mais casos e mortes, na semana (já virou rotina), é nos Estados Unidos. Em casos, aparecem entre os primeiros lugares também o Reino Unido, a França, a Alemanha, a Espanha, a Rússia e a Itália.

Em mortes, vêm depois dos Estados Unidos a Rússia, a Polônia, a Alemanha e a Índia.

Já os óbitos por milhão de habitantes têm a Martinica como primeiro lugar (são 136 casos por milhão), seguida de Trinidad e Tobago e Eslováquia.

Com 10 casos, o Paraguai passou à frente do México, da Coreia do Sul e do Chile, entre outros. O Brasil, com 4 casos por milhão, e a Argentina, com 3, estão melhor que todos os países europeus, com exceção da Suécia, Noruega e Islândia (todos com 3 casos por milhão).

Na América do Sul, só a Venezuela e o Uruguai empatam com a Argentina.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.