Em três dias de 2021, Foz registra sete mortes por covid-19. Taxa de mortalidade aumenta

A velocidade da pandemia continua acelerada, em Foz. Foto Marcos Labanca

O dia 1º não conta, porque os números da covid-19, em Foz, referiam-se ao último dia de 2020. Mas nos outros três dias, 2, 3 e 4, o registro da Vigilância Epidemiológica revela que a doença continua matando de forma acelerada.

Foram três óbitos registrados no dia 2; mais dois no dia 3; e outros dois nas últimas 24 horas até esta segunda-feira, 4.

A taxa de letalidade, isto é, o índice de óbitos em relação ao número de casos, vem subindo também aceleradamente. No dia 26, a taxa era de 1,43% em relação ao total de casos; no dia 30, havia subido para 1,44%. E, nesta segunda-feira, já está em 1,49%, quase igualando a média paranaense, de 1,50%. Desde o início da pandemia, Foz ficou sempre bem abaixo do índice estadual.

É possível que a taxa de letalidade diminua a partir da contagem real dos casos, já que em finais de semana os números de covid-19 tendem a diminuir, por falta de notificações.

Mas há outro indicador preocupante. Em relação à população, a covid-19 matou 72,1 paranaenses a cada grupo de 100 mil habitantes; em Foz, são 108,1 óbitos a cada 100 mil moradores.

Em resumo, a situação de Foz vem se agravando muito nas últimas semanas de dezembro e nesses primeiros dias de janeiro. A regional de Saúde de Foz já está em primeiro lugar, há vários meses, no coeficiente de incidência de casos confirmados por 100 mil habitantes. São 6.428, enquanto a média do Paraná é de 3.645 (os números de Foz são mais altos que a média da regional).

Puxados pelos números de Foz, os indicadores da Secretaria de Estado da Saúde mostram que a regional de Saúde registra 91,3 mortes a cada 100 mil habitantes, atrás apenas da regional Metropolitana (96) e bem acima do índice paranaense 69,4 mortes a cada 100 mil habitantes.

Detalhe: o número da média paranaense está defasado ou a população calculada é inferior à do cálculo que fizemos, mas a diferença permanece grande, independentemente de qualquer resultado.

Com as duas mortes divulgadas pela Vigilância Epidemiológica nesta segunda-feira, o município totaliza agora 279 óbitos. As últimas vítimas tinham 73 e 77 e eram pacientes do Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

CASOS

Já os 62 casos registrados nas últimas horas elevaram o total para 18.708, dos quais 17.865 estão recuperados. Dos novos casos, 41 são mulheres e 21 homens com idades entre 1 e 81 anos. Todos estão em isolamento domiciliar.

Dos casos confirmados ativos, 462 estão em isolamento domiciliar, com sinais e sintomas leves, e 102 pessoas estão internadas.

Até dia 3, não houve alteração na média móvel de casos em Foz, na comparação com 14 dias atrás. Manteve-se “similar”, segundo a Vigilância Epidemiológica, com o registro de 125 casos por dia.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 1064 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.