Paraguai, cada vez com menos casos e mortes por covid, se preocupa com Brasil

Mesmo com menor índice de vacinação que os vizinhos, Paraguai vê casos e mortes por covid-19 diminuírem cada vez mais. Foto Agência iP

Um dos motivos é a variante Delta do vírus, que só na sexta-feira, 1, provocou sete mortes no Paraná.

Em situação cada vez mais controlada de casos e mortes por covid-19, a preocupação da Saúde do Paraguai se volta agora para o Brasil.

No Paraná, só a variante Delta teve mais 17 casos e matou seis pessoas, inclusive em Foz do Iguaçu, nas 24 horas até sexta-feira, 1.

No total, o Paraná já acumula 179 casos e 44 óbitos pela variante.

SITUAÇÃO ESTÁVEL

O Paraguai está hoje entre os países com menor número de casos e mortes por covid-19. Na semana até sexta-feira, de acordo com o site Worldometer, o país registrou apenas 30 casos de contaminação por milhão de habitantes, o que o deixou em 171º lugar no ranking de 206 países.

Em mortes, a posição paraguaia desceu para o 131º lugar, com dois óbitos por milhão de habitantes na última semana, mas com número menor que na semana anterior (4 por milhão).

BRASIL

A situação do Brasil piorou um pouco no ranking mundial, o que exige mais atenção das autoridades de saúde.

Na semana até 29 de setembro, o Brasil estava em 59º lugar em mortes por milhão de habitantes (19), enquanto a Argentina aparecia em 46º (21 óbitos por milhão) e o Paraguai em 163º (4 óbitos a cada milhão de paraguaios).

Na semana até quinta-feira, o Worldometer mostra que o Brasil subiu para o 56º lugar, embora com menor número de mortes por milhão (17, ante 19 na semana anterior). Outros países, portanto, melhoraram seus índices.

Entre eles, a Argentina, que desceu do 46º para o 80º lugar, com 9 mortes por milhão de habitantes.

Já o Paraguai ficou no 121º lugar na semana, com 2 mortes por milhão, embora tenha subido no ranking, porque outros países melhoraram seus índices ainda mais.

CASOS

Nesta mesma semana até quinta-feira, o Brasil ficou em 94º lugar, a Argentina em 121º e o Paraguai em 164º.

Embora o Brasil apareça em situação pior que a dos vizinhos, está melhor em mortes por milhão que a Rússia, Estados Unidos e Israel.

Em casos, aparece mais bem situado que Reino Unido, Israel, Estados Unidos, Irlanda, Bélgica, Suíça , Canadá, Alemanha e Holanda, para citar os mais ricos e vacinados.

NO PARANÁ

No Brasil, o Paraná permanece em 3º lugar no ranking, em casos, e em 4º lugar, em mortes.

No topo do ranking de mortes, aparecem, pela ordem, São Paulo (149.953), Rio de Janeiro (65.261), Minas Gerais (54.613), Paraná (39.109) e Rio Grande do Sul (34.881).

“EL VECINO”

O jornal Última Hora, sem citar números do Brasil, diz que o país é o “vizinho que preocupa”.

“As autoridades de Saúde levantam os olhos para o que ocorre no Brasil”, diz o jornal. “Pela ampla fronteira que (o Paraguai) tem com o país vizinho, que gera uma grande mobilidade de pessoas, o que ocorre em dito país tem repercussão em nosso território um tempo depois”.

“O que representa uma preocupação é um aumento na incidência no Brasil, tanto em casos como em mortes. Uma das coisas que sempre estamos olhando, pelo significado que tem a fronteira com este país”, disse a responsável interina da Direção Geral de Vigilância da Saúde.

Ela destacou a atenção que a Saúde está dando ao departamento de Canindeyú, em especial às cidades de Salto duairá (fronteira com o Brasil) e Katueté. Mas em Alto Paraná, onde fica Ciudad del Este, os casos e mortes continuam em queda.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 1048 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ