Prefeitura recomenda volta das máscaras nas escolas de Foz do Iguaçu

Caixas com máscaras infantis estão à venda nas farmácias, mas o preço, muitas vezes, assusta. Imagem: Guilherme Wojciechowski
Siga a gente no

Orientação é para que alunos maiores de 2 anos retomem o uso da proteção.

A Prefeitura de Foz do Iguaçu está recomendando a volta do uso de máscaras nos ambientes escolares públicos e privados na Terra das Cataratas. A orientação é em razão do aumento de casos de covid-19 e outras doenças respiratórias. Em relação ao coronavírus, foram identificados surtos em quatro escolas.

A recomendação, que não tem caráter obrigatório, consta em dois memorandos: nº 23.889, enviado pela Diretoria de Vigilância em Saúde em 13 de maio; e nº 23.941, emitido pela Secretaria de Educação no dia 16. Os documentos têm como base a “Análise do Cenário Epidemiológico Covid-19”, elaborada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).

O relatório cita que os registros de hospitalizações permanecem estáveis, mas que o número de casos de covid-19 vem subindo nas últimas quatro semanas na cidade, bem como o percentual de resultados positivos nos exames. “Em relação à taxa de positividade houve aumento significativo nas últimas semanas, estando em 17,11% na data de hoje (13/05/2022)”, alerta o monitoramento.

“O aumento no número de casos foi observado a partir do mês de abril. Este aumento pode estar associado à sazonalidade do clima, que leva em uma maior procura de sintomáticos respiratórios aos serviços de saúde, bem como aos feriados prolongados registrados nas últimas semanas, resultando em aumento de aglomerações de pessoas”, consideram os gestores do CIEVS.

Imagem: Reprodução

O estudo também informa que “na data de hoje (11/05/2022) foram identificados surtos de COVID-19 em 04 escolas (03 delas com 03 casos confirmados e 01 com 06 casos confirmados)”. Os nomes ou bairros das escolas não foram divulgados.

Conforme o relatório, dos moradores infectados nos últimos 30 dias, “observou-se que 50,14% dos casos confirmados tinham o esquema primário completo [de vacinação contra a covid-19] mais uma dose de reforço, seguido de 32,98% tinham o esquema primário completo (duas doses), 13,06% não haviam tomado nenhuma dose da vacina e 3,81% tomaram apenas uma dose”.

Imagem: Reprodução

Já entre o público em idade escolar, boletim difundido pela Agência Municipal de Notícias na segunda-feira (16) chama a atenção para a baixa cobertura: “Até o momento, 56% das crianças foram vacinadas contra a covid-19 e apenas 31,53% receberam as duas doses. Contra a influenza, foram vacinadas 12,1% das crianças entre seis meses e quatro anos.”

Recomendações

Com base nas informações acima, o Memorando Interno nº 23.889 dispõe que “com a finalidade de evitar a disseminação do vírus principalmente em crianças em idade escolar no período de inverno, a Vigilância Epidemiológica recomenda que todos os alunos da rede pública e privada estejam com seu calendário vacinal em dia e que os maiores de 02 anos de idade adotem a utilização de máscaras como barreira de proteção durante o período que estiverem na escola”.

O memorando leva as assinaturas de Roberto Valiente Doldan, gerente técnico da Vigilância Epidemiológica; Carmensita Aparecida Gaievski Bom, do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde; e Jaqueline Tontini, responsável pela Secretaria Municipal da Saúde.

Já o Memorando Interno nº 23.941, assinado pelo secretário interino da Educação, Arthur Thomaz Pereira Repelevicz, é destinado a todas as escolas da rede municipal e complementa que “a orientação quanto ao uso [de máscaras] estende-se para todos os funcionários das unidades escolares”.

Imagem: Reprodução

Vale recordar que, por tratar-se de uma recomendação, não há imposição. Para que a obrigatoriedade volte a vigorar nos ambientes escolares, é necessária a emissão de um decreto municipal. Atualmente, o uso de máscaras é obrigatório apenas no transporte público e em locais como hospitais, unidades de saúde, clínicas, laboratórios e farmácias.

Estabelecimentos particulares sugerem que os pais adotem as recomendações.

Novo boletim

Os memorandos são anteriores ao boletim semanal divulgado nessa quarta-feira (18), que voltou a apontar aumento de casos. Conforme noticiado pelo H2FOZ, os últimos sete dias tiveram 557 novos registros em Foz do Iguaçu. O número de casos ativos (pessoas doentes neste momento) subiu 103%, passando de 207 para 421. Uma morte foi reportada.

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

-->