Moradores fecham Avenida Andradina em protesto por mais segurança a pedestres

A comunidade exige lombada elevada, sinalização e fiscalização - Foto: Divulgação

Criança de 10 anos foi atropelada na via nesta semana e está hospitalizada em estado grave; assista à manifestação.

Moradores do bairro Nova Andradina protestaram nesta quinta-feira, 28, pedindo mais segurança na Avenida Andradina para pedestres, na área perto do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) da Região Norte. Exibindo cartazes de cobrança e bradando a palavra “justiça”, as duas pistas da via foram fechadas – uma delas foi aberta depois –  e móveis e galhos foram queimados no asfalto.

Leia também:

Sem ciclovia, canteiro da Andradina “é terrão, poeira, barro e corredeiras”

A comunidade denuncia o descaso do poder público e afirma que a lombada no local é insuficiente para evitar a alta velocidade de veículos que trafegam pela via, ligação dos bairros próximos à Vila A ao Jardim Universitário, Cidade Nova e outras localidades. Os moradores relatam ocorrências de acidentes envolvendo pedestres.

Na manhã da última terça-feira, 26, uma criança de 10 anos foi atropelada no local por uma motocicleta. Ela segue internada em estado grave, entubada, segundo vizinhos da família. Conforme os pais, no momento do acidente, a criança estaria atravessando a avenida pela faixa de pedestres, que precisa ser revitalizada. Na avenida, já houve uma morte e outra criaça está paraplégica, devido a acidentes.

A população exige radar, construção de lombada elevada, sinalização e fiscalização dos motoristas que utilizam a pista. No local, para atravessar a Avenida Andradina, os moradores contam com uma faixa que conduz a um poste localizado no canteiro que divide as duas pistas. Do outro lado da faixa, não há calçada. No canteiro, estava prevista uma ciclovia.

“Fizemos vários pedidos à prefeitura, inclusive já houve morte aqui e o caso da Júlia, uma menina que ficou paraplégica após ser atropelada.”

“Precisamos de radar, lombada elevada e sinalização”, disse ao H2FOZ a comerciante da Avenida Andradina, Neiva Guedes. “Fizemos vários pedidos à prefeitura, inclusive já houve morte aqui e o caso da Júlia, uma menina que ficou paraplégica após ser atropelada”, relatou.

Nessa quarta-feira, 27, Neiva fez um vídeo (assista) dirigindo seu carro e percorrendo a avenida para demonstrar a alta velocidade de carros e motos, além da falta de sinalização. Ela afirma que as crianças são as que correm maior risco de sofrer acidentes.

Moradores afirmam que já fizeram reiterados pedidos de melhorias à prefeitura – Foto: Divulgação

O protesto na Andradina nesta quinta-feira foi transmitido ao vivo em uma página nas redes sociais mantida por moradores da avenida (clique para assistir). Na publicação, várias pessoas comentaram pedindo melhorias e respeito aos moradores. “Essa avenida está uma vergonha, bairro abandonado. Sem falar que quando chove vira um rio aí, impossível passar”, escreveu Rosy Angel Oliveira.

“As autoridades só fazem algo quando morre gente”, manifestou-se Andréia Simone. “Eu apoio [o protesto]. É uma criança [que sofreu o atropelamento nessa terça-feira]. Sou mãe e entendo vocês. Meu parabéns pela atitude. Tenho duas netas que moram aí. Apoiados”, anotou Rose Raian, entre quase duas centenas de comentários na postagem.

O que diz a prefeitura

Por meio de nota à imprensa, a Prefeitura de Foz do Iguaçu prometeu elaborar estudos para a instalação de faixa elevada. A gestão municipal comprometeu-se, também, a revitalizar a faixa de pedestres e adequar as calçadas.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1356 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.