Feira do Livro: o que é possível saber do evento literário previsto para outubro

O agente público durante entrevista na Rádio Clube FM - Foto: Carlos Sossa

O diretor de Projetos e Captação de Recursos da Fundação Cultural, Alexandre Barbosa, foi entrevistado no programa Marco Zero.

Um dos eventos culturais públicos mais esperados pela população iguaçuense, a Feira Internacional do Livro de Foz do Iguaçu estará de volta neste ano. Pelo menos é o que esperam autores, livreiros e amantes do livro e da literatura, já que a edição de 2020 não ocorreu por conta da pandemia.

A organização da feira foi pauta da entrevista com o diretor de Projetos e Captação de Recursos da Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, Alexandre Barbosa, no programa Marco Zero. A produção proposta está inserida no contexto da retomada dos eventos na cidade, anunciada em julho, com base na análise do poder público acerca do cenário epidemiológico local.

O Marco Zero é um programa conjunto produzido pelo H2FOZ e Rádio Clube FM. Entrevista, opinião, enquete, entretenimento, esporte, cultura e agenda. Todo sábado, das 10h às 12h. Participe do grupo no Whatsapp para receber as novidades. Clique aqui.

Assista à entrevista:

Restando apenas três meses para acabar o ano, e com a programação de Natal agendada para iniciar em 1º de dezembro, a data da realização da 16ª Feira do Livro ainda não está definida. Ela poderá ocorrer, segundo o dirigente da Fundação Cultural, do dia 30 de outubro a 6 de novembro.

“Optamos por fazer uma feira reduzida, com menos dias, mas com uma boa qualidade. A feira vai ter uma semana de duração”, disse Alexandre. “Nossa equipe de direção cultural está trabalhando com os nomes [participantes da programação]”, afirmou.

Sobre quem será homenageado na feira e autores convidados, o agente público declarou tratar-se de “segredo de Estado”. De acordo com ele, a Fundação Cultural contratará uma empresa para fazer a curadoria. “Ela terá um norte para ser seguido, e é a curadoria que irá convidar e contratar os autores; não temos esses nomes selecionados”, informou.

O evento será presencial, no Gresfi, com autores nacionais e locais presentes e, possivelmente, um escritor de referência internacional participando da feira por videoconferência. “Estamos aguardando a vistoria do Corpo de Bombeiros para delimitar a quantidade de pessoas em cada espaço, e vamos seguir todas as medidas sanitárias”, pontuou.

Organização

Decreto municipal do último dia 10 de setembro nomeou representantes de cinco instituições para integrar a comissão organizadora da Feira do Livro deste ano, dos quais quatro são de secretarias da prefeitura. Durante a entrevista, Alexandre Barbosa foi questionado por qual razão esse grupo ficou restrito, já que em edições anteriores a comissão contemplava mais diversidade e participação.

“A feira não é comercial, mas pública, regida por órgãos públicos. Não tem nenhuma lei que diga que devemos nomear uma comissão, fazemos isso para dar uma transparência maior”, frisou o diretor da Fundação Cultural. “Todo mundo que quiser participar é muito bem-vindo, tanto que tivemos participação de entes que não estão na comissão”, completou.

Sem vale-livro

Diferentemente dos anos anteriores, nesta edição não está prevista a distribuição do vale-livro. Conforme Alexandre Barbosa, a Secretaria de Educação, responsável pelo benefício, pretende implantar um voucher para ser usado nas livrarias da cidade. Essa medida necessita de projeto aprovado e deverá estar disponível apenas no começo do ano que vem.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Paulo Bogler - H2FOZ tem 1349 posts e contando. Ver todos os posts de Paulo Bogler - H2FOZ