Bienvenidos, mas só chilenos e uruguaios. Foto em Mendoza, na fronteira com o Chile. Autor: Por Tjeerd Wiersma from Amsterdam, The Netherlands - Argentinie 215, CC BY 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=22119cristo redentor

Antes de Foz, Argentina reabrirá fronteiras com Chile e Uruguai

O projeto-piloto do governo começa na fronteira desses dois países. A de Puerto Iguazú e Foz fica pra outubro, dizem.

6 de setembro: turistas chilenos e uruguaios serão autorizados a entrar na Argentina.

Indefinido: brasileiros poderão entrar no país vizinho por Puerto Iguazú.

Diziam – nunca oficialmente – que a primeira fronteira a ser reaberta, na Argentina, seria entre Puerto Iguazú e Foz do Iguaçu. Já em setembro.

Que nada! Talvez em meados de outubro. O jornal Clarín diz que o projeto-piloto de reabertura ao turismo será com os vizinhos mais vacinados do mundo, uruguaios e chilenos.

O Uruguai é o 3º no ranking mundial de vacinação, com 72% de sua população já tendo recebido duas doses, além de 4,6% com uma dose. Total: 76,6%.

O Chile vem a seguir, com 70% dos habitantes completamente imunizados e mais 4,7% com uma dose. Total: 74,7%.

À frente dos dois vizinhos, estão apenas os Emirados Árabes Unidos (85% da população vacinada) e Espanha (78%).

No Brasil, 62% estão vacinados, dos quais 28% com duas doses; na Argentina, são 61%, dos quais metade com duas doses.

CORREDORES SEGUROS

Segundo o jornal Clarín, com o projeto-piloto de reabertura ao turismo, a Argentina poderá avaliar se haverá ou não aumento de contágios e mortes por covid-19. Se os índices não se alterarem, a Argentina permitirá a entrada de turistas de outros países latino-americanos, da Europa e dos Estados Unidos.

Pra entrar na Argentina, uruguaios e argentinos deverão ter vacinação completa, teste negativo para o vírus e ainda fazer um isolamento, que será definido nos próximos dias.

Para a chegada dos turistas, serão criados “corredores seguros” nas províncias de Córdoba, Salta e Mendoza, que pediram a abertura de seus aeroportos internacionais e alguns trechos de fronteira para receber do exterior argentinos e turistas do Chile e Uruguai.

Como Córdoba não faz fronteira com nenhum país, reivindicou apenas a abertura de seu aeroporto. Mendoza, que volte a funcionar seu terminal aéreo e que seja reaberta a passagem fronteiriça do Cristo Redentor.

E Salta, por sua vez, pediu a volta do aeroporto e que possa receber chilenos e argentinos pela fronteira de Sico.

POR AVIÃO

Se o projeto-piloto der certo, serão autorizados mais voos de empresas privadas, que poderão trazer até 2.300 passageiros internacionais por dia.

O governo informou que hoje há uma média diária de até 1.500 passageiros que chegam ao aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires.

Em julho, para segurar a entrada da variante delta do coronavírus, o governo argentino reduziu, de uma hora para outra, a cota de entrada no país a 600 passageiros/dia.

Com a decisão, milhares de argentinos ficaram retidos em outros países, principalmente nos Estados Unidos. Agora, progressivamente, eles poderão retornar.

Para a nova cota, de 2.300 passageiros por dia, será preciso autorizar o funcionamento dos aeroportos das três províncias, já que Ezeiza não teria capacidade para atender este movimento.

URUGUAI E CHILE

O Clarín informa que o Uruguai abrirá totalmente suas fronteiras, para estrangeiros vacinados com duas doses, a partir de novembro. Mas o Chile deve continuar fechado.

Quanto a Foz do Iguaçu… bem, outubro está perto.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ tem 991 posts e contando. Ver todos os posts de Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.