Argentina: veja como foi o protesto dessa quarta (24) em Puerto Iguazú

Concentração inicial ocorreu na rotatória de acesso à cidade, com caminhada pela Avenida Victoria Aguirre até a área central.

Apoie! Siga-nos no Google News

Em adesão à manifestação nacional convocada na Argentina, representantes de sindicatos, movimentos sociais e comunidades indígenas participaram, no final da tarde dessa quarta-feira (24), de um ato público em Puerto Iguazú.

Leia também:
Jornal relata êxodo de jovens argentinos para o Brasil

O protesto teve início por volta das 17h, na rotatória de acesso à cidade. Cerca de uma hora mais tarde, os manifestantes seguiram a pé em direção à praça San Martín, no centro, onde foram feitos discursos alusivos à marcha.


Servidores públicos que atuam em locais como o Parque Nacional Iguazú, lado argentino das Cataratas do Iguaçu, participaram da manifestação, expressando dúvidas em relação aos compromissos do governo do presidente Javier Milei em temas como economia, meio ambiente e pesquisa científica.

Nacionalmente, o protesto contra as reformas propostas pela nova gestão foi convocado por entidades como a Confederação Geral do Trabalho (CGT), maior agremiação sindical da Argentina. O ato mais significativo ocorreu em Buenos Aires, ocupando a avenida que faz a ligação entre a Casa Rosada, sede do Executivo, e o Congresso Nacional.

Praça San Martín foi o local escolhido para os discursos dos participantes. Foto: Gentileza/Mas Iguazú
Praça San Martín foi o local escolhido para os discursos dos participantes. Foto: Gentileza/Mas Iguazú

Em Puerto Iguazú, um dos reflexos visíveis da paralisação foi a suspensão de voos no aeroporto local. Agências bancárias fecharam uma hora mais cedo, enquanto a maior parte do comércio funcionou em horário normal de expediente.

LEIA TAMBÉM