Capanema quer reativar passagem à Argentina por ponte “esquecida”

A ponte sobre o Rio Santo Antônio une Capanema a Andresito, na Argentina. Foto: Reprodução

Ponte sobre o Rio Santo Antônio, que liga a Andresito, está ainda paralisada.

O governo argentino liberou no início de fevereiro outras passagens de fronteira com o Brasil, que se somaram às que já funcionavam desde outubro do ano passado.

WHATSAPP – Assine a nossa linha de transmissão.

TELEGRAM – Entre em nosso grupo.

Mas uma passagem entre os países foi “esquecida”: a ponte internacional que liga Andresito, a 70 km de Puerto Iguazú, à cidade paranaense de Capanema, a 114 km de Foz do Iguaçu.

Agora, os prefeitos de Andresito, Bruno Beck, e de Capanema, Américo Bellé, se reuniram e decidiram se mobilizar para que a ponte volte a ser utilizada e permita a passagem de tráfego das duas cidades e também de turistas.

O prefeito de Capanema também expôs a necessidade de que seja ampliado o horário de funcionamento da ligação internacional, que antes da pandemia vigorava entre 7h e 19h, fechando à noite, o que desestimulava o turismo e os negócios.

Já o prefeito de Andresito destacou que, nos 42 anos de existência do município, sempre houve uma movimentação grande com Capanema, o que agora pretendem que seja retomada.

Foto divulgada pelo Ministério do Meio Ambiente da Argentina mostra a confluência dos rios Iguaçu e Santo Antônio. Afluente do Iguaçu, o Rio Santo Antônio nasce no município de Santo Antônio do Sudoeste e faz fronteira com a Argentina.

COMPENSAÇÃO

A ligação permitiria um acesso mais fácil de turistas do Sudoeste do Estado a Puerto Iguazú, na Argentina. A distância, a partir de Capanema e pela ponte internacional, é de 69,7 km pela estrada-parque argentina.

A ponte internacional que une Capanema a Andresito foi a forma que o governo do Paraná encontrou para compensar a região pelos eventuais danos econômicos provocados pelo fechamento da Estrada do Colono, em 1986 (foi reaberta por invasores na marra, mas fechada definitivamente em 2001).

A estrada cortava o Parque Nacional do Iguaçu e causava graves danos ambientais, tanto pelo tráfego de veículos como pela invasão de caçadores, pescadores e pessoas que destruíam a flora.

A ponte foi construída sobre o Rio Santo Antônio entre abril de 1993 e março de 1994, com recursos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) e da Prefeitura de Capanema.

Comandante Andresito, o nome oficial do município argentino, se originou de um projeto de colonização agrícola. Tem cerca de 20 mil habitantes e faz limite com os rios Iguaçu e Santo Antônio, além de ser divisa com o Parque Nacional do Iguaçu e o Parque Provincial Uruguaí.

Dentro do território argentino, as cidades mais próximas são Wanda (a 77,3 km), San Antonio (69,7 km) e Puerto Iguazú (a 69,7 km pela estrada-parque ou a 127 km utilizando o trajeto por Wanda).

Com população semelhante à de Andresito, Capanema tornou-se a principal parceira comercial da cidade argentina, onde os moradores vinham adquirir diversos bens, inicialmente em pequenos barcos e, mais tarde, pela nova ponte.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem prévia autorização do H2FOZ.

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.