Contra variante Delta, Paraguai intensifica fiscalização na fronteira

Aduana paraguaia da Ponte da Amizade na manhã desta terça-feira (20). Imagem: Reprodução / Direção Nacional de Aduanas.

A partir desta quarta-feira (21), viajantes que queiram entrar no Paraguai para viagens ao interior ou à capital Assunção estarão sujeitos a novas medidas de fiscalização em locais como a Ponte Internacional da Amizade. Os controles serão feitos no momento do registro do ingresso no país, no balcão da Direção Geral de Migrações. O objetivo é criar barreiras à entrada da variante Delta do novo coronavírus. (Imagem: Reprodução / Direção Nacional de Aduanas)

De acordo com o Ministério da Saúde Pública e Bem-Estar Social, para receber a autorização de entrada em território paraguaio será preciso apresentar resultado negativo de teste do tipo RT-PCR e certificado de vacinação internacional contra a febre amarela. Quem for de fora do Mercosul terá, também, de contar com seguro médico internacional.

A principal diferença em relação às regras anteriores é que haverá exigência de quarentena obrigatória de no mínimo cinco dias, que deve ser cumprida em hotel, domicílio ou albergue mantido pelo governo local. No quinto dia, será necessário fazer um novo teste de detecção do SARS-CoV-2.

O anúncio de novos controles gerou dúvidas quanto à circulação de pessoas entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, que não deve ser afetada. Brasileiros que cruzam a fronteira pela manhã, passam o dia no lado paraguaio e retornam à Terra das Cataratas à tarde, por exemplo, poderão continuar a fazê-lo sem alterações na rotina.

Identificada primeiramente na Índia, a variante Delta é considerada mais transmissível que as mutações anteriores do novo coronavírus. Grandes cidades brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro, já detectaram casos de transmissão local da nova cepa.

No Paraná são 13 confirmações, nas cidades de Araucária, Piên, Curitiba, Piraquara, São José dos Pinhais, Apucarana, Mandaguari, Rolândia e Francisco Beltrão. A presença da nova variante ainda não foi detectada nas três regionais do Oeste do Paraná (Foz do Iguaçu, Cascavel e Toledo), com a ressalva de que poucos testes são feitos.

Vacinação conturbada

A segunda-feira (19) foi de grandes reclamações em Ciudad del Este e municípios vizinhos, em razão da longa espera na fila para a vacinação contra o novo coronavírus. Em alguns dos locais de imunização, as doses acabaram no meio da tarde e foram repostas apenas à noite, quando um novo lote chegou de Assunção.

“A espera pode chegar a até 15 horas e, em alguns casos, mais de 24 horas”, relata o jornal ABC Color, em sua edição eletrônica. Na capital do Alto Paraná, as vacinas são aplicadas em drive-thru no Parque Linear da Área 1 e na 3ª Divisão de Infantaria do Exército. Para quem não tem carro, o único local é o Polideportivo (Ginásio) Municipal.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

Guilherme Wojciechowski é repórter colaborador do H2FOZ. E-mail: [email protected] - Veja mais mais conteúdo do autor.

Guilherme Wojciechowski - H2FOZ tem 125 posts e contando. Ver todos os posts de Guilherme Wojciechowski - H2FOZ

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.