Paraguai pode voltar à fase zero da quarentena, nas festas de fim de ano

O vice-ministro de Saúde Pública do Paraguai, Julio Borba, disse nesta segunda-feira, 14, que poderão ser estabelecidas medidas especiais para as festas de fim de ano, devido ao aumento dos casos de covid-19 e ao relaxo da população, noticia o jornal La Nación.

Também preocupa as autoridades de Saúde a quantidade de jovens internados com sintomas da doença, ocupando os cada vez mais escassos leitos da rede de saúde pública.

O vice-ministro lembrou que o decreto de flexibilização dos controles contra a pandemia estará em vigor até o dia 20. “Vamos nos reunir nesta semana e analisar se há alguma novidade sobre as festas de fim de ano. Não creio que voltemos à fase zero, mas é uma das possibilidades”, disse Borba.

CIUDAD DEL ESTE

O vice-ministro não falou nada sobre a questão das fronteiras, mas destacou que em Ciudad del Este, departamento de Alto Paraná, também aumentou a ocupação de leitos de terapia intensiva nas últimas semanas. Destacou que a situação será avaliada, porque os números de covid-19 são “ruins”.

Julio Borba salientou que não quer criar angústia sobre as eventuais medidas especiais a serem adotadas para o Natal e o Ano Novo, mas que a situação é preocupante. E insistiu que a volta da fase zero da quarentena, durante as festas, é uma das tantas possibilidades.

“Sempre provoca um alto impacto nas atividade econômica, vamos vendo que medidas tomar. Já há 35 pacientes ocupando leitos no setor privado, e o convênio (entre o governo e hospitais particulares) estabelece o máximo de 70. Os pacientes mais vulneráveis são os mais afetados e os que mais necessitam de internamento”, acrescentou o vice-ministro.

Julio Borba, em entrevista ao canal GEN e à Rádio Universo. Captura de tela

OS NÚMEROS

O último informe do Ministério de Saúde Pública, divulgado no domingo, 13, mostra que há 1.953 óbitos pela doença. O número de casos passou a 93.582, dos quais 66.543 estão recuperados. O índice de recuperação é de 71%, praticamente idêntico ao do Paraná, mas bem inferior à média brasileira: 88,9%.

A quarentena total, no Paraguai, foi decretada no dia 20 de março, quando houve a primeira morte por covid-19. Isolamento social, toque de recolher e fechamento das fronteiras foram incluídos nas medidas adotadas pelo país.

REABERTURA

A quarentena total vigorou até 3 de maio. No dia seguinte, começaram as fases da “quarentena inteligente”, um retorno gradual às atividades de trabalho e lazer, com medidas de distanciamento social e higiene.

A “nova normalidade” começou no dia 5 de outubro. E as fronteiras com o Brasil foram reabertas 10 dias depois, em 15 de outubro. Já as fronteiras com a Argentina permanecem fechadas: o governo argentino é irredutível.

Dos 70 leitos da rede particular postos por convênio à disposição do governo, 35 já foram ocupados. Foto Ministério de Saúde Pública do Paraguai

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.