Conheça Tony, o 1º bugio que nasceu no Refúgio de Itaipu. De cesárea

Olha a carinha de Tony, o bebê comportado. Foto Sara Cheida

Os médicos-veterinários da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu Binacional, Pedro Henrique Teles e Aline Luiza Konell, tiveram que fazer uma cesárea de emergência no mamãe, a Menina.

“Foi um momento tenso, tivemos que estudar bastante para fazer a cirurgia”, conta Aline.

Tenso e demorado. A operação levou duas horas. Mas foi bem sucedida.

Desde 17 de maio, Tony faz parte do plantel de seis bugios do Refúgio.

CRIADA POR HUMANOS

A veterinária acredita que Menina não conseguiu fazer o parto normal por deficiência anatômica, ou seja, sua pélvis não abriu o suficiente.

E tem uma hipótese pra isso: alimentação equivocada na fase de desenvolvimento da bugia.

“Ela foi criada na mão, por humanos, a vida toda”, explica Aline.

Com 6 anos, Menina chegou ao Refúgio vinda do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Tijucas do Sul (PR).

Vítima do tráfico de animais silvestres, a bugia foi resgatada pela Polícia Ambiental.

Menina vai buscar seu alimento, para garantir o leite de Tony, o filhote que não desgruda. Foto Sara Cheida

ANIMAL DÓCIL

Como passou a vida junto com humanos, Menina é dócil, o que de certa forma facilitou o trabalho dos médicos no parto.

“Nós conseguimos fazer o ultrassom e monitorar os batimentos dela e do filhote”, explica Aline. cesárea.”

Mais problemas com Tony: o bichinho nasceu com 255 gramas e, em suas primeiras horas de vida, tinha uma má formação na cabeça.

É que “ele ficou muito tempo preso ao canal e a cabecinha ficou deformada”, diz a veterinária.

Porém, algumas horas depois, o rosto do bichinho foi tomando a forma correta.

GRUDADO NA MÃE

Por mais três meses, a vida do bugiozinho será assim, coladinho à mamãe. Foto Sara Cheida

Como ele está hoje? Com mais de um mês, está bem saudável e, claro, não desgruda da mamãe.

E assim será pelos próximos quatro meses, quando deve largar o colo da mãe e ter suas primeiras aventuras.

Nesse período, o pai, Ruivão, um bugio de seis anos, que chegou do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), fica afastado da família.

Mas, depois, ele volta a conviver com mãe e filho, o que é importante para a socialização do filhote.

TEMPORADA DE NASCIMENTOS

O Refúgio Biológico Bela Vista comemora 37 anos, nesse domingo (27), com bons resultados nos programas de reprodução dos animais silvestres.

No último dia 17, nasceu um cervo-do-pantanal, depois de 8 anos sem reprodução dessa espécie. Batizado de Charles, o cervo é o 18º nascido no Refúgio.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Já escutou o último episódio do GUARÊ, o podcast do H2FOZ? OUÇA AGORA

Assessoria

Este texto é de responsabilidade de assessoria da imprensa institucional e/ou empresarial. Veja mais conteúdo do autor.

Assessoria tem 588 posts e contando. Ver todos os posts de Assessoria

error: O conteúdo protegido !!! Este conteúdo e de exclusividade do H2FOZ.