Em época de seca, Parque Nacional do Iguaçu faz monitoramento anti-incêndio

Denise Paro – H2FOZ

Em plena temporada de biomas sensíveis à seca e queimadas, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga o maior remanescente de Mata Atlântica do Sul do país, garante a proteção da fauna e flora com monitoramentos para evitar incêndios. 

Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela reserva de 185 mil hectares, o parque possui, há mais de 20 anos, um Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais revisado e atualizado anualmente. O plano contempla zonas de menor e maior risco de incêndios. 

Em épocas de estiagem, como agora, há equipes em estado de alerta fazendo monitoramentos e patrulhamentos ao longo dos limites do parque. Orientações a produtores rurais e moradores que vivem próximo ao parque sobre riscos de incêndios também têm sido realizadas pelos brigadistas.  

Ao todo, a reserva tem uma equipe de 12 brigadistas, entre homens e mulheres, que ficam em três bases: seis na sede, em Foz do Iguaçu, três em Céu Azul e três em Capanema. Eles passam por curso de formação, treinamentos constantes e são submetidos a um rigoroso processo de seleção.  

Em caso de ocorrências, o Corpo de Bombeiros é acionado. 

 

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.