H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Cláudio Dalla Benetta - H2FOZ

Acirra-se a "guerra" entre taxistas e Uber/MUV em Ciudad del Este

Acirra-se a
Quando o carro por aplicativo atende o chamado do taxista, é cercado por eles, que chamam a polícia de trânsito. O veículo é apreendido.

Nesta quarta-feira, 22, um grupo de taxistas impediu que um motorista de MUV (aplicativo de transporte semelhante ao Uber, deenvolvido no Paraguai) pegasse um passageiro, no microcentro de Ciudad del Este.

Os taxistas fecharam o veículo e chamaram a Polícia Municipal de Trânsito, que fez a apreensão. É uma prática cada vez mais frequente, segundo denunciou em nota a plataforma de transporte de passageiros.

A empresa Uber também denunciou que seus trabalhadores são constantemente perseguidos pelos motoristas de táxi.

Estima-se que operam em Ciudad del Este 80 veículos pela Uber e outros 60 pelo MUV, que disputam os passageiros com os cerca de dois mil motoristas de táxi, número divulgado há algum tempo pela Associação dos Taxistas Unidos.

Esta associação, nesta quinta-feira, 23, foi logo cedo à diretoria de Trânsito de Alto Paraná para se manifestar contra as plataformas de transporte.

O presidente da associação, Gustavo Espínola, diz que os condutores por aplicativo têm que se ajustar às normas e leis de trânsito.

Segundo ele, está cada vez mais difícil para os taxistas conseguirem passageiros, porque MUV e Uber fazem preços muito baixos, o que é "uma concorrência desleal". "Querem monopolizar e pisotear os trabalhadores", disse ele ao jornal Última Hora.

Manifestação dos taxistas contra as plataformas de transporte. Foto Wilson Ferreira, da sucural em Ciudad del Este do jornal Última Hora

Falta uma norma

A Prefeitura de Ciudad del Este confirma que MUV e Uber não estão regulamentados, e atuam com base numa legislação de 1996 que regulariza o trabalho dos taxistas.

O prefeito Miguel Prieto considera que a Câmara de Vereadores deve aprovar uma normativa que contemple outras modalidades de transporte, não somente os táxis.

Sem taxímetro

Gustavo Espínola admitiu ao Última Hora que os motoristas de táxi não utilizam taxímetros e explicou que o preço mínimo da corrida é de 25 mil guaranis (R$ 16), com o qual se pode percorrer quatro quilômetros.

Disse ainda que os usuários de táxi já estão acostumados a negociar o preço com o motorista, antes de fazer a corrida.

Valor alto

Se for considerada a distância percorrida pelo valor oficial, a corrida de táxi está cara em Ciudad del Este (a não ser que seja negociada). Por R$ 16, é possível ir muito mais longe num carro por aplicativo daqui de Foz do Iguaçu, dependendo do horário e do trânsito.

Como não há taxímetros e MUV e Uber já fixam os preços para o cliente antecipadamente, dá pra entender por que estão fazendo sucesso em Ciudad del Este.

"Terrorismo"

Pra combater a concorrência de MUV e Uber, os taxistas de Ciudad del Este usam uma tática de "guerrilha".

Um deles chama um carro pelo celular e marca um ponto, como a entrada de um shopping. Quando o motorista do aplicativo chega, o carro é cercado por taxistas, que seguram o veículo até a chegada da Polícia Municipal de Trânsito, que o apreende.

Mas, às vezes, os motoristas de táxi apelam pra violência. Na semana passada, um veículo da Uber foi atacado a pontapés, resultando em danos materiais. O motorista contou que teve o carro interceptado e que um taxista tentou quebrar um banco de madeira contra seu parabrisas.

Os taxistas também fotografam os veículos que trabalham com Uber e Muv, para distribuir as imagens em seus grupos de WhatsApp, de modo que todos possam identificá-los.

A empresa Uber chegou a Ciudad del Este em dezembro do ano passado. O MUV já operava na cidade desde abril, mas sempre na mira dos taxistas.

Os táxis de Ciudad del Este são criticados porque os veículos são antigose porque os taxistas fixam o preço que querem.

X