H2FOZ - Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Eleitorado volta a crescer em Foz do Iguaçu

Eleitorado volta a crescer em Foz do Iguaçu
Foz do Iguaçu possui 178.270 pessoas aptas ao voto em em 2018. (Foto: Marcos Labanca)

H2FOZ - Daniela Valiente
Gráficos: TSE (Tribunal Superio Eleitoral)

Se antes a preocupação estava no encolhimento do eleitorado iguaçuense, neste ano a boa notícia veio com a chegada de acadêmicos vindos de todo o Brasil para cursar Medicina no outro lado da fronteira. 

Sim, os brasileiros de outros estados, que atravessam a ponte para estudar no Paraguai, ajudaram a impulsionar novamente o número de eleitores da cidade, que chegou a 178.270 para este pleito. 


Na eleição municipal, a cidade registrou queda de 12,8% no eleitorado (caiu de 190 mil em 2014 para 165 mil em 2016). Agora, de 2016 para 2018, o índice subiu 7,5%, considerando os atuais 178 mil eleitores em Foz do Iguaçu.
 

O dado foi repassado pela chefe da Central de Atendimento ao Eleitor do Fórum Eleitoral, Nerli Vieira. “Este ano, o diferencial é que temos muitos eleitores vindos de outros estados do Brasil, em sua maioria jovens que vieram cursar Medicina no Paraguai e optaram por transferir seus títulos”, revela. 

Outra grande parcela dos novos eleitores cadastrados se refere a jovens com mais de 16 anos que decidiram votar nessas eleições. “Os jovens hoje têm muito acesso a informação e à internet, e isso de alguma forma os impulsionou a fazerem o título mais cedo, antes da idade exigida [18]”, complementa Nerli.

Segundo reportagem publicada pelo portal H2FOZ, do total dos 15 mil alunos inscritos nos cursos de Medicina em universidades nas cidades vizinhas paraguaias, 98% são brasileiros.

Perda
Em 2015 e 2016, com exigência do recadastramento biométrico, o colégio eleitoral cancelou cerca de 40 mil títulos – despencando de 190.197 em 2014 para 144.088 em 2016. Somente com a chegada de novos eleitores, o número iniciou uma recuperação. “Hoje estamos com mais de 178 mil eleitores, recuperamos boa parte do que havíamos perdido nos anos anteriores”, confirma a servidora do Fórum Eleitoral.

Histórico eleitorado em Foz
2018  Eleitores = 178.270
2016  Eleitores = 165.730
2014  Eleitores = 190.197
 

Faixa

Os jovens também são maioria no eleitorado iguaçuense, de acordo com levantamento oficial do TSE. O maior volume de eleitores está na faixa dos 25 a 29 anos, representando 11% do total. Em seguida vem o grupo de 35 a 39 anos, com 10,7%.



Mulheres são em maior número, representando 54,3%. A idade média do grupo mais volumoso entre elas é de 35 a 39 anos (10,9%). Já entre os homens, a idade média do maior grupo é de 25 a 29 anos (11%).

Com a homologação da resolução que autoriza o uso do nome social, no final de 2017, muitos eleitores puderam fazer a alteração. No Brasil foram mais de 6.200. Em Foz, três. 


Outro dado interessante do eleitorado iguaçuense é quanto ao número de pessoas com deficiência física, que somam 2.172 eleitores; cegos, 345; surdos, 234; com dificuldade para o exercício do voto, 15; e outras deficiências, 1.873.

Para a coordenadora pedagógica da Associação Cristã dos Deficientes Físicos (ACDD), Jane Mara Santos de Oliveira, a motivação para a garantia do direito de votar é constante dentro do espaço, que atende 115 pessoas com deficiência física neuromotora e múltiplas deficiências. 

“Aqui pelo menos 20 alunos votam, e sempre orientamos a eles e seus familiares sobre a importância de termos uma representatividade. Os que têm o cognitivo preservado votam e querem ter voz. Hoje faltam pessoas que lutem pela nossa causa, sofremos com a falta de inclusão política, por isso é importante que votem”, ressalta Jane.

Escola


A escolaridade média dos eleitores na cidade é ensino médio completo, representando 26,45%, ou 47.145. Na sequência aparece quem não concluiu o ensino fundamental (21,94%) e pessoas com superior completo (16,12%). Outra alta verificada ao longo de quatro anos é quanto ao número de eleitores com nível superior incompleto, sendo de 9,27% – índice três vezes maior que em 2014. O total de eleitores analfabetos é de 3.776 (2,12%), o menor registrado em quatro anos.

Gráficos: TSE (Tribunal Superio Eleitoral)