H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Cláudio Dalla Benetta

Em Ciudad del Este, nova sessão da Câmara deve escolher prefeito nesta terça. Com segurança reforçada

Em Ciudad del Este, nova sessão da Câmara deve escolher prefeito nesta terça. Com segurança reforçada
["Manifestantes for\u00e7aram e conseguiram entrar na C\u00e2mara, para susto dos vereadores."] (Foto: Wilson Ferreira, Última Hora)

Por Cláudio Dalla Benetta

A segurança deve ser reforçada na Câmara de Vereadores de Ciudad del Este, nesta terça-feira, 12. Os vereadores se reúnem em sessão extraordinária para escolher o prefeito interino, que ficará no cargo até as eleições, marcadas para 5 de maio.

Na sessão desta segunda, os vereadores se limitaram a ouvir a leitura da notificação da Câmara de Deputados que destituiu Sandra McLeod.

Mas houve tensão e entrevero, com manifestantes forçando a entrada na Câmara. E isso pode se repetir nesta terça (aliás, só haverá eleição se houver quórum mínimo. Caso os vereadores não se acertem para a escolha do interino, a Câmara de Deputados vai designar um funcionário para ficar no cargo até maio.

O vereador Celso Miranda "Kelembu", que foi "eleito" prefeito por colegas em sessão não reconhecida oficialmente, foi xingado por manifestantes, que o perseguiram chamando-o de "traidor". 

Durante a sessão, o presidente da Câmara, Herminio Corvalán, perguntou se ele estava ali como vereador ou prefeito. Ele disse que estava como vereador e, ao jornal Vanguardia, afirmou que vai "respeitar o que foi decidido pela Câmara de Deputados".

Com escolta

Celso Kelembu, em foto do Vanguardia.

Kelembu teve que sair da Câmara escoltado pela polícia, enquanto outros dois vereadores, Javier Bernal e Ángel Núñez, saíram pela janela do prédio, pra não enfrentarem os manifestantes, que não arredaram pé desde as primeiras horas da manhã até o fim da sessão, informou o Última Hora.

Já o ABC Color conta que Kelembu afirmou ser "o prefeito legítimo", e que não sabe se estará na sessão desta terça pra votar, embora garanta que tem os votos pra voltar ao cargo que ganhou na surdina, mas não desfrutou. 

"Aqui é uma luta de poderes. Frente Guasu quer o cargo,  Paraguayo Cubas quer o cargo, claro. Eu também quis e ganhei. Venci mas os deputados me atrapalharam", disse o polêmico vereador.

E confessou que pode participar das eleições de maio, se tiver apoio de um dos partidos grandes, como o Colorado Añetete. 

Ele garantiu ao jornal que nunca negociou com os Zacarías, mas sim com "os vereadores zacariístas", o que pra ele é diferente. "Nós já derrubamos os Zacarías, eles estão liquidados, vão ser presos, vão pra cadeia, por que eu não posso falar com os meus colegas?", perguntou.