H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Cláudio Dalla Benetta - H2FOZ e AEN

Empregos. Foz volta ao azul, em setembro. Setor de serviços é destaque, mas comércio cria vagas

Empregos. Foz volta ao azul, em setembro. Setor de serviços é destaque, mas comércio cria vagas
Comércio volta a contratar, o que deve continuar fazendo até o final do ano. (Foto: Torange)

Foz do Iguaçu fechou setembro com um pequeno saldo de empregos com carteira assinada. Somando todos os setores, foram criadas 210 vagas, ou uma variação positiva de 0,36%, segundo levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira (17).

Em números absolutos, o setor de serviços foi o que mais contribuiu para esse resultado, com a criação 118 vagas no mês. O comércio, pela primeira vez nos últimos meses, também teve resultado positivo, com 48 vagas (variação de 0,27%).

Também contribuíram para o resultado positivo os setores de indústria da transformação (29 vagas, variação de 1,33%) e construção civil (20 vagas, variação de 0,76%).

Resultados negativos apenas no setor extrativo mineral (menos uma vaga), agropecuária (menos três vagas) e serviços industriais de utilidade pública (menos uma vaga).

No ano, o resultado de Foz é um pouco melhor, com a criação de 792 empregos (variação de 1,36%). Destaque mais uma vez para o setor de serviços, que gerou 807 vagas, seguido da construção civil (272 vagas). Já o comércio, no ano, teve um desempenho ruim - foram fechadas 291 vagas no setor.

Ao longo deste ano, a criação de vagas foi inferior ao total registrado nos últimos 12 meses, quando Foz teve a criação de 1.352 vagas, uma variação de 2,34%.

Só dois setores não contribuíram para o resultado positivo: o comércio, que  fechou 226 vagas, e a indústria de transformação, com menos 48 vagas.

Nos 12 meses, mais uma vez, quem mais contribuiu foi o setor de serviços, com a criação de 1.284 novos empregos, uma variação de 3,93%.

No Paraná

Veja agora a situação do Paraná, na matéria distribuída pela Agência Estadual de Notícias (AEN).

Paraná abre mais de 59 mil novas vagas de emprego no ano

O Paraná criou 59.295 vagas formais de emprego entre janeiro e setembro de 2019, de acordo com levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (17). O Estado está entre os que mais geraram oportunidades de trabalho no País neste ano, junto com São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. Houve crescimento de 2,28% no número de vagas abertas no mercado paranaense em relação ao mesmo período de 2018.

Em setembro, o Paraná registrou 9.218 novas vagas. Com ajuste sazonal, também nesse índice o Estado registrou crescimento em relação ao mesmo mês do ano passado e em relação a agosto deste ano, que teve 8.726 contratações.

Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os resultados estão na esteira de um panorama econômico mais favorável ao Paraná. “Organizamos a máquina pública, pacificamos o ambiente de negócios e conseguimos atrair mais de R$ 16 bilhões de investimentos privados neste ano. Também destravamos o processo de abertura de empresas”, afirmou, ressaltando diversas medidas para modernizar a infraestrutura.

O secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, reforçou que as políticas adotadas no Estado a partir deste ano têm como foco ampliar as oportunidades de emprego e renda para os paranaenses. Ele destaca que o Estado também reforçou os atendimentos nas Agências do Trabalhador para intermediar as contratações.

“Seguimos uma linha constante de crescimento. Estamos mergulhados em uma ação proativa nas Agências do Trabalhador para intermediar mão de obra para as empresas e na missão de qualificar cada vez mais os trabalhadores paranaenses”, apontou.

Leprevost também afirmou que a secretaria trabalha em parceria com a Volkswagen e o Senai para dobrar o número de trabalhadores qualificados pelas Carretas do Conhecimento em 2020. O programa, lançado neste ano, percorre 46 cidades do Estado e prevê formar 2,5 mil pessoas.

Setores

O principal impulsionador do emprego no Estado no ano foi o setor de serviços, com saldo de 36.343 novos empregos, crescimento de 3,5% em relação ao mesmo período de 2018 – em setembro deste ano foram 4.341 contratações. A construção civil também indica sinais de plena retomada com crescimento de 8,21% no ano, o que representa 9.883 novas vagas.

O terceiro setor que mais contratou foi a indústria de transformação, evidência que já havia sido detectada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que destacou o Paraná com o maior índice de crescimento na atividade industrial do País entre janeiro e agosto, com 6,5%. No consolidado do ano foram 7.565 novas vagas no setor, aumento de 1,19% em relação a 2018.

Os subsetores que mais contrataram em 2019 na indústria foram química de produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria (1.570); produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico (1.464); têxtil do vestuário e artefatos de tecidos (1.457); mecânica (1.256); e metalúrgica (1.124).

A economista Suelen Glinsk, do Departamento do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, disse que os bons números da indústria são fundamentais para o Estado porque é um setor que paga os melhores salários e exige mais qualificação dos empregadores.

"O setor industrial ajuda a alavancar todos os outros. Os números foram positivos no mês passado e tivemos crescimento neste mês", afirmou. "Também observamos um efeito em cadeia no Paraná com a indústria: há novos empregos na construção civil, o que reinsere pessoas no mercado de trabalho e impulsiona a produção e as vendas".

Atividades e ocupações

As atividades que mais contrataram no ano foram serviços combinados de escritório e apoio administrativo, com 3.770 postos; transporte rodoviário de carga, com 3.341; e abate de suínos, aves e outros pequenos com 3.332 postos. Com relação às ocupações, os maiores saldos entre janeiro e setembro aconteceram entre alimentadores de linha de produção (10.121 postos), escriturários em geral (8.871) e trabalhadores nos serviços de manutenção de edificações (4.963).

Cidades

Curitiba lidera a criação de vagas em 2019, com saldo de 19.697, seguida por Maringá (4.888), São José dos Pinhais (2.972), Cascavel (2.930), Pato Branco (2.472) e Londrina (1.624). Com os dados apenas de setembro, os maiores crescimentos foram de Curitiba (1.984), Maringá (741), São José dos Pinhais (389), Londrina (344) e União da Vitória (322).

Região

A Região Sul do Brasil acumula 150.587 novas vagas formais entre janeiro e setembro, segundo melhor resultado do País, atrás apenas do Sudeste (398.867). O Paraná representa 39,3% do total de vagas criadas em toda a região. Se computados os resultados de setembro, o Sul ficou em terceiro no ranking do País, com 23.870 novas vagas, atrás do Nordeste (57.035) e do Sudeste (56.883).

Brasil

O País abriu 157.213 postos de trabalho em setembro, equivalente à variação de 0,40% em relação ao estoque no mês anterior. No acumulado do ano, foram criados 761.776 empregos, com variação de 1,98% em relação ao período de janeiro a setembro de 2018.

 

X