H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Assessoria

Foz conquista índice Firjan de boa gestão pela primeira vez

Foz conquista índice Firjan de boa gestão pela primeira vez
Situação fiscal de Foz melhorou e atingiu categoria de Boa Gestão. (Foto: CS PMFI)

Pela primeira vez desde o início da pesquisa anual, em 2013, o município de Foz do Iguaçu foi classificado como Boa Gestão pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) faz referência a 2018 e avalia as contas de 5.337 municípios de todo o país, que concentram 97,8% da população brasileira.

Construído com base em dados fiscais oficiais, o índice é composto por quatro indicadores: Autonomia, Gastos com Pessoal, Liquidez e Investimentos. Os dados foram publicados na última quinta-feira (31).

Para o prefeito Chico Brasileiro, a avaliação positiva é reflexo do trabalho sério e comprometido desenvolvido pela gestão.

“Desde 2017 estamos atuando para reequilibrar as contas públicas e ampliar a capacidade de investimentos no município, pois temos a missão de fazer de Foz do Iguaçu uma cidade melhor. Estamos trabalhando para isso e mostrando os resultados, como essa avaliação positiva do índice Firjan”, disse. A expectativa é continuar avançando nos indicadores, que ajudam a atrair mais investimentos para a cidade.

O índice varia de 0 a 1 ponto. Quanto mais próximo de 1, melhor a situação fiscal do município. Na avaliação geral, que considera o resultado dos quatro indicadores principais, Foz do Iguaçu obteve a pontuação 0,6103.

Apenas 8,6% dos municípios avaliados em todo o Brasil conseguiram classificação como Boa Gestão. De acordo com o mapa da gestão fiscal, 73,9% dos municípios brasileiros foram avaliados no IFGF com gestão fiscal difícil ou crítica.

Nota máxima

Foz do Iguaçu apresentou melhorias em todos os indicadores na gestão municipal em 2018. Na categoria autonomia o município atingiu a nota máxima, com 1,0 ponto.

O novo indicador de gestão fiscal foi inserido nesta edição do estudo. Ele verifica a relação entre as receitas oriundas da atividade econômica do município e os custos para manter todas as estruturas municipais, ou seja, se existe a autonomia financeira.

Mais investimentos

O indicador com principal mudança foi o de investimentos. Em 2017 a nota foi de 0,14, avançando para 0,42 em 2018.  

“No ano passado tivemos a oportunidade de trabalhar com um orçamento elaborado pela nossa gestão pela primeira vez, conseguimos desenvolver iniciativas e projetos que possibilitaram uma melhor aplicação dos recursos públicos em investimentos para a população de Foz”, explicou Brasileiro.

Os gastos com pessoal tiveram uma melhoria significativa, passando de 0,31 para 0,41. Outro destaque foi o avanço na liquidez, que pelo segundo ano consecutivo manteve o bom desempenho.

Em 2016 a avaliação era de 0,48, subindo para 0,60 em 2017 e mantendo o bom índice em 2018. Esse critério avalia se as prefeituras estão postergando pagamentos de despesas para o exercício seguinte, sem a devida cobertura de caixa.

Tesouro Nacional

A credibilidade do município, que estava com pagamentos em atraso, foi recuperada ao longo dos dois anos de gestão municipal.

Com as contas em ordem, a prefeitura de Foz do Iguaçu conquistou a nota “A” do Tesouro Nacional, quanto à capacidade de pagamento.