H2FOZ - Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Foz sediará o 1º Seminário de Capoeira Camboatá

Foz sediará o 1º Seminário de Capoeira Camboatá
Evento em setembro reunirá capoeiristas de todo o país (Foto: Divulgação )

Assessoria do Grupo de Capoeira Camboatá

O Grupo de Capoeira Camboatá, em parceria com a fundação Cultural e com a Associação Fraternidade Aliança – AFA, vai realizar aqui em Foz, nos dias 14 e 15 de setembro, um seminário de capoeira que vai tratar das experiências e perspectivas da capoeira no âmbito cultural e psicossocial infanto-juvenil. 

Só aqui em Foz, o Grupo de Capoeira Camboatá reúne aproximadamente 350 crianças e jovens, com idades entre 6 e 19 anos. As aulas são em várias regiões da cidade, inclusive na sede da AFA. Para participar, é preciso que o aluno esteja frequentando a escola e, tirando notas boas. 

De acordo com o Carlos Roberto Galvão, mais conhecido como mestre Nescau, que incentiva a prática do esporte, a capoeira é também uma manifestação cultural, presente em mais de 150 países. Em 2008, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) reconheceu a atividade como Patrimônio Cultural do Brasil. “Tudo por causa do valor histórico e também pela herança cultural africana”, destaca o mestre Nescau. 

Porém, além desse valor histórico e cultural, a capoeira tem se mostrado um forte aliado no processo de ensino e de aprendizagem de crianças e adolescentes, em diferentes classes sociais. Prova disso é que há 15 anos a AFA vem desenvolvendo um projeto em parceria com a Prefeitura. É o “Casa da Criança”, que oferece um serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, por meio do qual, as crianças têm acesso à prática da Capoeira. De acordo com Mestre Nescau, só na AFA mais de 200 crianças com idades entre 6 e 14 anos, praticam a capoeira. 

Dentro do Serviço de Convivência, as crianças são norteadas por alguns eixos: ser, conviver socialmente, participar e praticar as atividades complementares como esportes, cultura e lazer. Entre essas atividades, a Capoeira aparece como uma das preferidas da meninada. Para o Mestre, a explicação é simples: “por meio de recursos lúdicos e pedagógicos a Capoeira proporciona o desenvolvimento integral do praticante, que aprende a ter domínio motor, físico, efetivo, cognitivo e social, além de receber informações sobre a história do Brasil e dos afro brasileiros, por meio da música, e da contação de histórias”.

Aprimoramento 

O Grupo de Capoeira Camboatá tem mais de 10 mil praticantes em todo o mundo. Aqui no Brasil, está presente no Rio de Janeiro, em Santa Catarina e também no Paraná, onde chegou em 2003. Hoje são mais de 500 praticantes aqui no estado e um dos grandes incentivadores é o Mestre Nescau, que atua na região de Foz, Santa Terezinha, São Miguel e Medianeira. 

Mesmo com toda essa experiência, os educadores de capoeira ainda se deparam com algumas barreiras devido ao pouco conhecimento da comunidade em geral a respeito da prática esportiva. Além do pouco conhecimento, outra barreira é o preconceito com relação à atividade. Por causa disso e com o objetivo de difundir a importância da capoeira, é que será realizado este Seminário aqui em Foz. Para mestre Galvão, “a intenção é fortalecer os vínculos entre os envolvidos e difundir a ideia da prática da capoeira como algo voltado para humanizar e fortalecer o caráter e o corpo. Podemos dizer que a capoeira é um meio e o ser humano, o fim.”