H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Cláudio Dalla Benetta - H2FOZ

Hoje é Dia dos Namorados em quase todo o mundo. Mas não no Brasil

Hoje é Dia dos Namorados em quase todo o mundo. Mas não no Brasil
Dia do amor e da amizade, em quase todo o Ocidente (e até no Japão). (Foto: Susan Cipriano/Pixabay)

Até os japoneses, por influência do Ocidente, comemoram nesta sexta, 14 de fevereiro, o Dia dos Namorados. Ou melhor, o Dia de São Valentim

Se você não sabe por que hoje é o dia de trocar presentes, entre os apaixonados, precisa conhecer a história de Valentim, que depois de morto virou santo.

Como toda história antiga que se preze, há muito de lenda e há várias versões. Mas existe uma que é pelo menos mais conhecida.

Imagem Chiplanay/Pixabay

No século III, o Império Romano era governado por Cláudio II, que um dia decidiu proibir casamentos dos jovens, por acreditar que solteiros sem mulher e filhos eram melhores soldados.

Suposta imagem do santo
(Wikipedia)

Valentim, um padre, achou injusto o decreto. E começou a celebrar casamentos de forma clandestina.

Quando o imperador descobriu, quis obrigar padre Valentim a renunciar ao cristianismo.

Ele não aceitou, por isso acabou preso e condenado à morte.

Durante as últimas semanas de sua vida, um carcereiro percebeu que Valentim era um homem culto e levou sua filha, Júlia, para receber lições. Ela era cega.

 

O milagre

Valentim ensinou aritmética, leu contos da história romana e lhe falou de Deus. Júlia aprendeu a ver o mundo através dos olhos de Valentim, até que, depois de muitas súplicas, seu mestre conseguiu o milagre de devolver-lhe a visão.

Na véspera de sua morte, Valentim escreveu uma última carta a Júlia, pedindo que se mantivesse perto de Deus. E assinou: "De seu Valentim".

Nascia ali o hábito de trocar cartões e cartas de amor no dia 14 de fevereiro, data da morte de Valentim.

Nem existiu

Morto, ele virou santo e em 14 de fevereiro de 494 houve a primeira comemoração oficial em sua hoomenagem. Mas, em 1969, o papa Paulo VI decidiu eliminar a data do calendário litúrgico.

O motivo? Não existem provas de fato da existência de Valentim, o padre casadouro.

Tenha ou não existido, desde o início do século XX o dia de São Valentim transformou-se numa data comercial, uma das mais importantes, por sinal, atrás apenas do Natal e do Dia das Mães, na maioria dos países.

Nosso Dia dos Namorados

 Imagem de Engin Akyurt/Pexels

Menos no Brasil, que comemora o Dia dos Namorados em 12 de junho. Mas por que essa data e como surgiu?

Foi de uma ideia do publicitário João Doria, pai do atual governador de São Paulo, João Doria Jr. Em 1948, o publicitário foi contratado por uma loja para melhorar o resultado das vendas em junho, que sempre eram muito fracas.

O Dia das Mães já era um sucesso no Brasil. Por que não o Dia dos Namorados?, pensou Doria. Quanto ao dia, escolheu o 12 porque é véspera de Santo Antônio, o santo casamenteiro.

O primeiro slogan que ele criou foi: "Não é só com beijos que se prova o amor!". Na sequência, veio outro: "Não se esqueçam: amor com amor se paga". A propaganda foi julgada a melhor do ano pela Associação Paulista de Propaganda à época.

Já no ano seguinte, a data começou a se espalhar pelo Brasil. E tornou-se uma comemoração nacional.

Fontes: El Territorio e BBC Brasil.

X