H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Cláudio Dalla Benetta - H2FOZ

Invasores de reserva de Itaipu no Paraguai matam onça-parda com armadilhas

Invasores de reserva de Itaipu no Paraguai matam onça-parda com armadilhas
A onça, vítima de caçadores clandestinos (veja a foto completa após o texto), e armadilhas encontradas pelos guardas-florestais da usina. (Foto: Itaipu Paraguai)

H2FOZ - Cláudio Dalla Benetta

Em tom pesado e de cobrança das autoridades paraguaias, que até agora não tomaram qualquer providência, a usina de Itaipu, no Paraguai, denunciou novamente as constantes invasões de suas áreas protegidas, "apesar das denúncias constantes ante os órgãos competentes", como diz o texto publicado no site da empresa.

A matéria é ilustrada com uma imagem chocante: uma onça-parda presa pelas duas patas traseiras, morta numa armadilha feita por caçadores clandestinos. A morte da onça-parda, segundo a empresa, "foi denunciada por cidadãos que preferiram o anonimato".

Outras fotos mostram diversas armadilhas encontradas pelos guardas-florestais de Itaipu, além de espingardas e cartuchos.

Armas e armadilhas utilizadas pelos invasores. Foto Itaipu Paraguai

"Há vários meses Itaipu vem denunciando ilícitos que se registram constantemente, principalmente na área de Puerto Índio", diz a matéria da própria empres. Mesmo assim, os delitos ambientais continuam nas reservas mantidas na margem paraguaia, com derrubada de árvores e pesca e caça clandestinas, "crimes que atentam contra o patrimônio natural de toda a região de influência de Itaipu".

"A participação cidadã em ações de proteção dos remanescentes florestais da Mata Atlântica de Alto Paraná, da qual formam parte as oito áreas protegidas de Itaipu, é fundamental para a conservação da biodiversidade universal", segundo Itaipu, explicando que, por isso, continuará a denunciar os casos que ocorrem nessas áreas.

A usina informa ainda que as áreas protegidas têm um papel fundamental de garantir água, matéria-prima mais importante da binacional, além de constituir um corredor anti-erosivo que protege o curso do Rio Paraná.

Itaipu já abriu dois processos no Ministério Público do Paraguai, um contra as pessoas responsáveis pela derrubada de árvores em Puerto Índio e outro por invasão de terra. A promotoria ordenou a presença policial permanente nma região.

As diretorias Jurídica e de Coordenação de Itaipu também já pediram ao Ministério do Interior que intervenha para evitar "os graves danos ambientais e de invasão registrados constantemente em uma importante parcela de sua área protegida na região de Puerto Índio, Alto Paraná", conclui a matéria.

Chocante!

Animal que está criticamente ameaçado de extinção, a onça-parda é vítima de gente cruel e insensata. Foto Itaipu Paraguai

 

Veja Também
X