H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Por: Assessoria

Sindhotéis discute propostas nacionais para amenizar crise no turismo

Sindhotéis discute propostas nacionais para amenizar crise no turismo
Presidente Neuso Rafagnin tem debatido diariamente ações para conter impacto do coronavírus (Foto: Divulgação)

Representantes do turismo têm discutido medidas para amenizar o impacto econômico sobre as empresas do setor por causa do coronavírus. Diretor da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação e presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu e Região, Neuso Rafagnin vem debatendo diariamente acerca de ações para amenizar crise.

O dirigente esteve no Rio de Janeiro na segunda-feira, 16, para alinhar, junto à diretoria da FBHA, as propostas que serão encaminhadas ao governo federal, em especial ao Ministério do Turismo e Ministério da Economia. Além de definir as propostas nacionais, o objetivo é elaborar ações que possam ser aplicadas nos estados e municípios.

“Além da proteção de funcionários e clientes, estamos procurando alternativas para minimizar o impacto das medidas restritivas ao turismo."

“Além da proteção de funcionários e clientes, estamos procurando alternativas para minimizar o impacto das medidas restritivas ao turismo. Estamos elaborando medidas a serem negociadas com o governo federal para dar suporte aos hotéis e restaurantes que estão sendo duramente castigados pela crise”, afirmou Rafagnin.

Propostas positivas

Durante o encontro no Rio de Janeiro, o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio, reforçou que todos estão preocupados com o impacto do coronavírus nos negócios. “Buscamos propostas positivas para preservar a saúde de todos, os empregos, as empresas e as estruturas”, ressaltou Sampaio.

O próximo passo será reunir-se com representantes do Ministério do Turismo e Ministério da Economia (Secretaria do Trabalho e Previdência), em Brasília. “Ciente da nossa representatividade, queremos ajudar os governos para passarmos por esse período muito difícil da nossa história”, concluiu o presidente da FBHA.

X