H2FOZ - Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Notícias

Suspensão do mandato de Nanci está em vigor

Suspensão do mandato de Nanci está em vigor
Vereadora não receberá salário e nem poderá exercer prerrogativas parlamentares (Foto: Câmara Municipal de Foz)

H2FOZ - Paulo Bogler

A mesa diretora da Câmara Municipal publicou no Diário Oficial do Município nesta terça-feira, 19, a Resolução n° 148/2018, que suspende o mandato da vereadora Nanci Rafagnin Andreola (PDT). O afastamento vigorará do dia 20 de junho de até 19 de julho de 2018.

A suspensão das atividades parlamentares de Nanci foi aprovada em primeira e segunda discussões, em sessão nesta terça-feira, com 14 votos favoráveis. O vereador Kako (Podemos) foi contra a proposta por consider branda a punição. 

O plenário acompanhou a decisão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, que instaurou procedimento administrativo contra a vereadora. Ao final do processo, o conselho propôs o afastamento de Nanci pelo período de 30 dias.

Nanci foi acusada pela moradora de Foz do Iguaçu Andréia Moranda de Castro de quebrar o decoro parlamentar previsto no regimento do Legislativo. Ela teria faltado à sessão em 2017, apresentado atestado médico e participado de show do Rock in Rio, no Rio de Janeiro (RJ). 

O atestado usado pela parlamentar para justificar a ausência na Câmara Municipal no dia 21 de setembro não foi reconhecido pelo médico Maxsuel de Pádua Almeida. Em resposta por e-mail ao Conselho de Ética, ele disse que a letra e a assinatura não são suas e que não examinou Nanci.

Conforme a Câmara de Vereadores, Nanci não receberá o subsídio durante o período de afastamento e não exercerá prerrogativas parlamentares. Advogado da vereadora, Gustavo Bonini Guedes disse que a defesa atuou para demonstrar a improcedência da sanção, mas não irá recorrer da decisão. 

Atestado "falso"

Em ação sobre o caso do uso de atestado pela vereadora Nanci Rafagnin Andreola para justificar ausência em sessão da Câmara Municipal, o Ministério Público do Paraná apresentou ação civil pública. A 6ª Promotoria a acusa de improbidade administrativa, peculato, falsificação de documento particular e uso de documento falso.