Ex-chanceler do Paraguai comandará missão de observação das eleições no Brasil

Rubén Ramírez Lezcano foi escolhido pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro.

Apoie! Siga-nos no Google News

Rubén Ramírez Lezcano foi escolhido pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro.

Diplomata com experiência no cenário continental, o ex-ministro das Relações Exteriores do Paraguai Rubén Ramírez Lezcano foi o escolhido pela Organização dos Estados Americanos (OEA) para liderar a delegação da entidade para a observação das eleições brasileiras no mês de outubro.

A escolha foi anunciada pelo presidente da OEA, Luis Almagro, em comunicado nas redes sociais. Em 2021, Ramírez Lezcano participou da Missão de Observação Eleitoral da entidade no Peru. Na ocasião, o candidato Pedro Castillo derrotou Keiko Fujimori, filha do ex-ditador Alberto Fujimori, por estreita margem de votos no segundo turno.

A delegação da OEA no Brasil terá como responsabilidade observar o processo de votação, em aspectos como acesso dos eleitores, transparência e legalidade; contagem e totalização dos votos, por meio de comparativos entre os boletins impressos das urnas e os resultados recebidos no servidor; e consolidação dos resultados obtidos.

Além da OEA, outras entidades, como a União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore), já confirmaram o envio de missões. É aguardada também a presença de observadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Carter Center e Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais (IFES, na sigla em inglês).

A presença de observadores internacionais é prática comum nas eleições de grande porte, como é o caso da brasileira. Em 2018, por exemplo, a própria OEA esteve presente para acompanhar o processo, atestando a legalidade do pleito que elegeu o presidente Jair Bolsonaro, governadores, senadores e deputados.

LEIA TAMBÉM

Comentários estão fechados.