Quase 40 dias após mega-apreensão na Europa de cocaína “paraguaia”, só um “coitado” foi preso no Paraguai

Já no título, o jornal ABC Color levanta suspeita sobre a investigação que os promotores paraguaios fazem para descobrir quem enviou as 16 toneladas de cocaína para a Alemanha: “Sugestivo ‘stand-by’ em pesquisas de mega-carga de cocaína apreendida”.

A droga foi apreendida no dia 12 de fevereiro no porto de Hamburgo, na Alemanha. Os tabletes de cocaína estavam dentro de latas de tinta, embarcadas no porto de Assunção, no Paraguai, pela empresa Pinturas Tupã S.A.

Os organismos de segurança alemães informaram sobre a apreensão – a maior já feita na Europa – as autoridades paraguaias. O Ministério Público do Paraguai criou uma equipe especial de promotores para as investigações.

Uma série de buscas na empresa de pintura e em propriedades do dono da Tupã S.A., Diego Benítez, levantou ainda mais suspeitas, mencionadas pelo ABC Color.

Nas buscas só foram encontradas latas ou vasilhas de tintas similares às usadas para enviar a cocaína à Europa;

– Na propriedade em Mariano Roque Alonso, onde supostamente funciona a fábrica de tintas Fox Colors, da Pinturas Tupã S.A., não foi encontrado nenhum maquinário para a produção de tintas, só um artefato usado para selar as latas.

No fundo do depósito havia acúmulo de lixo e um escritório, onde aparentemente os promotores não encontraram documentos importantes.

Na suposta fábrica, nenhum equipamento para produzir tintas. Só latas idênticas às encontradas no porto de Hamburgo, com cocaína dentro. Foto Senad

Com apoio da Secretaria Nacional Antidrogas, os promotores fizeram buscas também num depósito localizado a apenas 20 metros da suposta fábrica de tintas. O local pertence a Óscar Ayala Noguera, cunhado do empresário Diego Benítez, mas estava alugado para Gerardo Gómez Jara.

No depósito, foram encontrados 117 tambores de 200 litros de acetato de etila, produto utilizado no refinamento de cocaína.

O locatário, Gerardo Gómez Jara, pagou adiantado por três meses de arrendamento. Embora se imagine que ele seria um grande empresário, não passa de um humilde trabalhador braçal. Como não tinha permissão para comercializar o acetato de etilo, Gómez Jara foi detido e processado.

Diz o ABC Color que, até agora, Gómez é o “único detido e processado, ainda que as autoridades e os promotores assegurem que as investigações se concentram sobre o empresário Benítez”.

A defesa do empresário alega que a carga de tinta, que saiu do porto paraguaio, foi “contaminada” no caminho até a Europa. Mas os experts dizem que esta hipótese não é muito crível, já que 17 mil latas de tinta estavam carregadas com os tabletes de cocaína, o que não se poderia fazer em plena viagem, informa o ABC Color.

NO FACEBOOK

À parte isso, basta procurar na Internet pelo nome Pinturas Tupã S.A. que a gente acha duas páginas iguais no Facebook, que identificam a empresa como “Distribuidora de tintas, Assunção, Grande Assunção e interior do país”.

As páginas foram criadas no dia 24 de março de 2018 e só têm duas publicações, uma que informa sobre atualização do endereço do site, daquele dia, e outra de dois dias depois, em que a empresa procura um vendedor de tintas imobiliárias e automotivas, para atender Assunção e arredores. As duas páginas têm 45 curtidas e são seguidas por 49 pessoas.

O site da empresa – www.pinturastupa.com.py.- não é encontrado.

Já o site da tinta que supostamente a empresa fabrica – Fox Colors – está no ar. A página informa que a Fox Colors foi criada em 2017 e é “uma das marcas líderes de pinturas decorativas de qualidade superior no Paraguai, com produtos fabricados com os mais altos padrões, sob regulações de normas brasileiras”.

A fábrica de tintas, informa o site, funciona em Mariano Roque Alonso, município próximo a Assunção. Foi esta fábrica que os promotores visitaram, sem encontrar maquinário nenhum. Só latas de tinta similares às que levavam a cocaína encontrada em Hamburgo.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.