H2FOZ - Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Planeta Foz

Que tal adotar um sonho?

Que tal adotar um sonho?
Dona Chica em entrevista ao Clube dos Amigos (Foto: Alexandre Palmar)

H2FOZ - Renata Thomazi
Com assessoria 

Todos os dias, Francisca de Lopes Lima, a Dona Chica, depois de oito horas de trabalho no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), percorre a cidade de Foz do Iguaçu em busca de donativos. Essa rotina incansável se repete há 21 anos e, segundo ela, “foi um chamado de Deus” para que amparasse crianças carentes. 



Ela não busca dinheiro, e sim alimentos, roupas, calçados e brinquedos; afinal de contas, cerca de 400 crianças da Vila das Batalhas, de 0 a 12 anos, contam com o carinho e dedicação que voluntariamente Dona Chica empreende a elas. 
 

A ideia é que cada voluntário contribua com um brinquedo, uma peça de roupa e um calçado - Foto: Roger Meireles/Gazeta Diário

Mas esta missão não é fácil, e Dona Chica precisa de ajuda. Por isso ela está em busca de madrinhas e padrinhos que queiram “adotar”, para este 12 de outubro, o sonho de quem, mesmo diante da miséria, tem o que comemorar: a vida, a infância e o sonho de um futuro melhor. 

Dona Chica cadastrou as crianças e anotou o pedido de cada uma delas. A ideia é que cada voluntário contribua com um brinquedo, uma peça de roupa e um calçado. As doações podem ser entregues até o dia 25 de setembro, mas as crianças receberão os presentes apenas no dia 14 de outubro, um domingo, na casa de Dona Chica. 

Tradição

Natal, Páscoa e Dia das Crianças, a cada data festiva um novo desafio. Por essa razão o trabalho em busca de doações não para. Ela usa dinheiro do próprio salário para pagar passagens de ônibus e até mesmo de táxi quando precisa recolher os donativos. “É Deus quem me dá forças para continuar”, afirma. 

Festa

Dona Chica atende cerca de 400 crianças da Vila das Batalhas - Foto: Roger Meireles/Gazeta Diário

O lugar deixa de ser apenas um lar para se tornar o ponto de encontro da festa e distribuição dos donativos. Ela recebe pais, crianças e voluntários com cachorro-quente, bolo, salgadinhos e refrigerantes para todos. Empresários também podem contribuir, de preferência com estes itens que ajudam a compor a comemoração.

“Se um dia eu parar este trabalho, eu sei que não vou mais viver, eu amo muito demais. Essas crianças são como se fossem meus filhos, por isso eu não desisto e conto com a ajuda das pessoas”, desabafou em entrevista ao Clube dos Amigos (programa do H2FOZ e Rádio Clube transmitido aos sábados).

As doações podem ser entregues na casa dela, na Rua Heleno de Freitas, nº 2.470, na Vila das Batalhas, no Morumbi 3. Os interessados também podem ligar no (45) 99825-9685 para que Dona Chica passe recolhendo os donativos.

Clique aqui para ouvir a entrevista.