Noiva de preto é interpretada pela bisneta durante gravação da cena do casamento, em Foz. Foto: Divulgação.

Pesquisa sobre antepassados europeus revela noiva vestida de preto e vira documentário

Ficar sabendo que a bisavó se casou usando vestido preto foi uma das descobertas mais intrigantes feitas pelo dentista Alexandre Kraemer, morador de Foz do Iguaçu, enquanto pesquisava as origens europeias da família dele. O casamento foi em 1903 e a busca por uma explicação e para as verdadeiras histórias dos antepassados trouxe revelações inimagináveis. O resultado foi a publicação de um livro que inspirou a gravação do documentário: “A Noiva de Preto”, com pré-lançamento marcado para amanhã (26), às 15h, durante uma Live.

Alexandre Kraemer e a irmã, Anelise Kraemer, interpretaram os bisavós na gravação da cena do casamento do documentário A Noiva de Preto. Foto: Divulgação

Quem assistir à Live promovida pela Associação dos Cidadãos Luxemburgueses no Brasil (ACLUX) terá acesso, em primeira mão, a um link restrito e poderá assistir ao documentário até domingo (27), à meia-noite. A protagonista é Maria Pierret, bisavó de Alexandre Kraemer que usou preto no dia do casamento. “Ela falava muito bem o alemão e o francês. Nós acreditávamos que ela era alemã, porque a certidão de casamento dela afirmava isso”, conta o dentista que virou um exímio pesquisador de genealogia. Os levantamentos sobre os antepassados da família já duram 16 anos. A investigação minuciosa resultou numa pasta com mais de 60 páginas com documentos raríssimos, como o relatório de um censo realizado em 1887. Graças a esses documentos ele constatou que a família não é originária da Alemanha e que o primeiro destino dos Pierret, nas Américas, não foi o Brasil.

Documentário A Noiva de Preto é inspirado no livro Família Pier

“A Noiva de Preto”

O documentário “A Noiva de Preto” é um estímulo para que o público desperte interesse em pesquisar sobre os antepassados. A história da noiva que se casou de preto é cercada de temas universais como união conjugal, atitudes incentivadas pela religião, segredos de família, migração, mortos lançados ao mar, fome, além de coincidências incríveis! A cena de abertura foi gravada na Igreja São José Operário, em Foz, tendo Alexandre Kraemer no papel do bisavô (marido da noiva de preto) e a irmã dele, Anelise Kraemer, no papel da bisavó (a noiva de preto). Amigos e parentes foram figurantes e contribuíram para que esse resgate histórico ficasse ainda mais envolvente.

Equipe que participou da gravação da principal cena do documentário na Igreja São José Operário, em Foz. Foto: Divulgação

A história narrada por Alexandre Kraemer é complementada por entrevistas de personagens reais de diversos lugares, como Brasília (DF), Curitiba (PR), Santa Cruz do Sul (RS) e Argentina. Ilustrado com fotos antigas, mapas, documentos e artigos, o documentário desvenda um roteiro ainda pouco conhecido da migração europeia para a América do Sul.

O dentista Alexandre Kraemer fez descobertas reveladoras sobre a migração de europeus ao pesquisar os antepasados. Foto: Divulgação

SERVIÇO
PRÉ-LANÇAMENTO DOCUMENTÁRIO “A NOIVA DE PRETO”
DATA: SÁBADO (26)
HORA: 15H
PLATAFORMA: LIVE ASSOCIAÇÃO DOS CIDADÃOS LUXEMBURGUESES NO BRASIL (ACLUX)
Link: https://bit.ly/2UD2c6D

Ficha Técnica:
Roteiro e produção: Izabelle Ferrari e Kathlen Ferrari
Direção: Izabelle Ferrari
Produtora de Audiovisual: Vision Art

Assessoria

Este texto é de responsabilidade de assessoria da imprensa institucional e/ou empresarial. Veja mais conteúdo do autor.

Assessoria tem 452 posts e contando. Ver todos os posts de Assessoria