H2FOZ | Notícias | Foz do Iguaçu
  1. Home
  2. Claudio Dalla Benetta

Cadê os fresquinhos ônibus azuis? Com a palavra, nossos vereadores

Seis meses de garagem, como castigo pros azuizinhos.

Um usuário criativo encontrou uma solução para resolver rapidinho o problema dos 15 ônibus com ar-condicionado (aqueles azuis) que não rodam em Foz do Iguaçu, por questão burocrática, política ou coisa que o valha.

"Põe os vereadores num ônibus sem ar-condicionado e roda com este ônibus pelas vias de Foz do Iguaçu, no calorzinho que faz por estes dias, até eles aparecerem com a solução."

Lá no final do verão, em março deste ano, o transporte coletivo de Foz ganhou os 15 ônibus "climatizados", que equivalem a menos de 10% do total da frota (158 ônibus). E nenhum deles está rodando até hoje, quando seriam bastante bem-vindos, nesta onda de calor que a cidade atravessa.

Mas por que estão nas garagens? Simples. Ou, melhor dizendo, complicado: porque até agora a Câmara de Vereadores nada decidiu sobre o projeto de lei apresentado pelo prefeito no início de junho, que concedia isenção do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza  (ISSQN) ao Consórcio Sorriso, para aplicação dos recursos em melhorias no sistema.

A isenção representaria uma espécie de subsídio para que o Consórcio adquirisse mais ônibus com ar condicionado. Logo, viriam mais 10.

Os vereadores analisam, analisam (no conforto de suas salas com ar-condicionado) e o usuário de ônibus espera. Segundo o jornal GDia, a Comissão Mista da Câmara estudou o projeto do prefeito, desde junho, e apresentou alterações, que foram incluídas num substitutivo, lido finalmente no dia 3 de setembro.

Já que não se chega a um consenso, o projeto deveria ir logo a plenário, para que cada vereador possa se manifestar, dizendo se é contra ou a favor de ar-condicionado nos ônibus. Assim, mostrando a cara, seria preciso coragem pra negar o benefício. Ou, no mínimo, ter muito bons argumentos pra ser contra.

O curioso é que o projeto de isenção do ISSQN já conta com parecer pela legalidade da Procuradoria Geral do Município, da Procuradoria da Câmara e do Instituto Instituto  Brasileiro de Administração Municipal.

Já existe até a definição das linhas onde os ônibus com ar-condicionado iriam rodar (Vila C, Morumbi, Três Lagoas, Porto Meira e Parque Nacional). Mas falta saírem da garagem.

O problema de ônibus com ou sem ar-condicionado não é exclusivo de Foz, mas aqui é um pouco mais gritante por causa do calor que faz no verão. Dentro do ônibus, somado ao calor dos corpos e do motor, a temperatura pode chegar facilmente aos 60 graus.

Ou até mais. Segundo uma reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, exibida em janeiro deste ano, dentro de ônibus no Rio e em São Paulo, a temperatura medida chegou a 60 graus. Em São Paulo, não faz tanto calor quanto em Foz, no verão. Aqui, dá pra chutar uns 70 graus.

O que se sabe é que a temperatura dentro de um ônibus com ar condicionado é no mínimo 15 graus mais baixa do que a registrada num que não tenha o equipamento.

Mas, quem sabe, até o próximo verão os vereadores terão decidido o que é melhor para os usuários. Quem aguentar, verá.

Este blogueiro não entende de transporte coletivo, não entende de leis, não entende nada de como funciona a Câmara (nem quer entender). Só entende uma coisa: usuário do transporte coletivo merece tratamento humano.