CoronaVac: testes da vacina feitos pelo Instituto Butantan chegaram à fase final

Segundo a instituição, os resultados sairão na primeira semana de dezembro.

Sediado em São Paulo, o Instituto Butantan informou que o estudo clínico da vacina CoronaVac chegou à fase final. Os dados deverão ser publicados no início de dezembro. A meta é que 46 milhões de doses do medicamento sejam disponibilizadas até janeiro do ano que vem.

O imunizante é desenvolvido por meio de parceria entre o instituto brasileiro e a farmacêutica Sinovac Life Science. Os resultados dos testes serão encaminhados pelo comitê internacional independente para análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com o noticiado pela Agência Brasil (ABr), os testes são realizados em 16 centros de pesquisa científica no país, coordenados pelo Butantan, envolvendo 13 mil voluntários. Um lote com 120 mil doses da vacina já está em São Paulo.

A agência oficial de notícias do governo federal informou também que a fase anterior de estudos da CoronaVac foi publicada na revista científica Lancet, considerada uma das mais importantes do mundo. “A publicação mostrou que a vacina é segura e tem capacidade de produzir resposta imune no organismo 28 dias após sua aplicação em 97% dos casos”, relata a ABr.

Outras vacinas seguem em testes de eficácia e segurança. O imunizante da Universidade de Oxford e do laboratório AstraZeneca pode ter 90% de eficácia, sem efeito colateral grave. A vacina está em “estudo clínico em estágio avançado realizado no Reino Unido e no Brasil”, diz a ABr.

Testes finais da vacina da americana Pfizer, desenvolvida em parceria com a alemã BioNTech, demonstraram 95% de eficiência. A Moderna, a partir de dados preliminares, sustenta que a sua vacina tem eficácia semelhante. As informações também são da Agência Brasil.

Paulo Bogler - H2FOZ

Paulo Bogler é repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.