Por causa da covid-19, podem faltar medicamentos para intubação e anestesia

“Os pacientes não param de chegar em condições cada vez mais graves nos hospitais, e esse tipo de fármaco é essencial para que a pessoa não sofra com o momento da colocação do tubo que vai auxiliar no suporte necessário para a respiração”, disse o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, ao anunciar a suspensão de cirurgias eletivas no Estado.

Os medicamentos a que se refere o secretário, com estoque para poucos dias, são: atracúrio, rocurônio, noripinefrima, pancurônio, propofol, cetamina/dextrocetamina, cisatracúrio, fentanila e midazolam. Eles são usados como anestésicos e relaxantes musculares, usados em cirurgias, mas também para a intubação de pacientes internados em UTIs para tratamento de covid-19.

“Estamos há semanas atuando de forma a otimizar o uso dos medicamentos anestésicos e buscando soluções possíveis. Alertamos o Ministério da Saúde, informamos toda a rede de hospitais sobre a nossa situação”, explicou o secretário.

“Devido à ocorrência de muitos casos graves de covid-19, o aumento do consumo dos medicamentos e a escassez de insumos farmacológicos no mercado, tivemos que suspender temporariamente as cirurgias que não são urgentes”, explicou.

Segundo Beto Preto, o Paraná está articulando com o Ministério da Saúde para reabastecer o estoque, o que pode ocorrer nos próximos dias. De acordo com o secretário, o ministério está fazendo uma grande aquisição internacional, que vai incluir o Paraná, conforme pedido feito ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Em relação às cirurgias, a resolução da Saúde permite que sejam feitas apenas as urgência, emergência, cardiológicas e oncológicas.

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.