Alto Paraná está fora das áreas de maior risco de covid, no Paraguai

Ciudad del Este é capital de Alto Paraná, hoje fora da área vermelha, de alto risco.

O mapa de risco feito pela Vigilância de Saúde do Paraguai inclui a capital, Assunção, e 11 departamentos do país onde há maior possibilidade de contágio e morte por covid-19.

Segundo o jornal Última Hora, o mapa de risco foi preparado com base nos dados dos últimos 14 dias.

Entre 16 e 31 de maio, foram reportados 38.867 novos casos em todo o país e 1.448 mortes.

Os departamentos classificados como zonas vermelhas são aqueles onde a incidência superou 150 casos por 100 mil habitantes.

Escapam desta lista o vizinho departamento de Alto Paraná, onde fica Ciudad del Este, além de Alto Paraguay, Boquerón, Amambay, Canindeyú e San Pedro.

O grande problema do Paraguai, maior até que nos vizinhos: há poucas vacinas. Risco futuro aumenta. Foto Agência IP

MAPA DO RISCO

Veja quais são os departamentos considerados de maior risco para contrair covid-19 e morrer por causa da doença:

1) Assunção: Com 521.559 habitantes, registrou em 14 dias 14.872 novos casos e 202 óbitos. A incidência de casos é de 675 por 100 mil habitantes.

2) Misiones: Houve 970 casos e 27 mortes neste departamento de 128.130 moradors. A incidência é de 379 por 100 mil.

3) Central: Tem 2,2 milhões de moradores. Em 14 dias houve 14.872 novos casos e 582 óbitos, com incidência de 338 por 100 mil.

4) Ñeembucú: A incidência é de 305 por 100 mil. No departamento, de 90.287 habitantes, foram informados 551 novos casos e 9 mortes.

5) Guairá: Com 227.747 habitantes, registrou 1.292 novos contágios e 9 mortes. A incidência ficou em 284 por 100 mil.

6) Paraguarí: Sua população é de 258.957 habitantes. Em duas semanas, somou 1.361 contágios e 53 óbitos. A incidência ficou em 263 por 100 mil.

7) Cordillera: Este departamento de 311.273 habitantes teve, em 14 dias, 1.604 contágios e 54 óbitos, com incidência média de casos de 258 por 100 mil.

8) Itapúa: É uma das regiões que mais preocupam o Ministério de Saúde, atualmente, devido ao avanço da pandemia, informa o Última Hora. Com 616.565 habitantes, teve 3.157 novos casos e 101 mortes. A incidência é de 256 por 100 mil.

9) Presidente Hayes: O índice de incidência é de 241 por 100 mil. Registrou 627 novos casos e 14 óbitos em duas semanas. O departamento tem 127.951 moradores.

10) Caazapá: Conta com 192.031 habitantes. Durante os últimos 14 días registrou 745 novos casos e 22 óbitos. A incidência é de 194 por 100 mil.

11) Concepción: Registrou o total de 37 óbitos e 943 contágios em duas semanas. A população é de 254.976 pessoas e a incidência é de 185 por 100 mil.

12) Caaguazú: Com população de 563.803 moradores, teve 1.909 novos casos e 77 mortes. A incidência é de 169 casos por 100 mil habitantes.

RECOMENDAÇÕES

Para esses departamentos, considerados como de alta transmissão comunitária de covid-19, o Ministério de Saúde do Paraguai divulgou recomendações a autoridades e à população:

– Os moradores devem permanecer em seus municípios e limitar contatos com pessoas de fora;

– Intensificar controles de medidas sanitárias, em especial o uso de máscara cirúrgica;

– Atividades essenciais devem ser realizadas sob estritos protocolos;

– Atividades comerciais não essenciais não devem funcionar;

– Cancelar atos e eventos massivos. Diminuir presença de pessoas em reuniões sociais;

– Instituições educativas devem incluir estratégias de ensino a distância;

– É recomendável adotar horários restritos de circulação.

PIOR MÊS

O jornal Última Hora lembra que o Paraguai atravessa uma nova onda de mortes e contágios por covid-19, que coloca no limite o atendimento nos hospitais e a situação vivida pelo pessoal de saúde.

Maio foi o pior mês da pandemia, desde que os primeiros casos surgiram.

O jornal La Nación noticia que, no mês, morreram mais de 2.700 pacientes, numa média de 90 mortes por dia.

Em abril, a média diária de óbitos foi de 73. A média de março foi de 33 óbitos; a de fevereiro, 17; e a de janeiro, 15.

AUMENTO EXPONENCIAL

Os casos também foram crescendo mês a mês: foram 25.285 em janeiro e 26.247 contagiados en fevereiro.

Em março, o número dobrou: 55.193 casos; em abriu, subiu para 64.410; e em maio os novos casos passaram de 75 mil, um aumento de quase 200% em relação a fevereiro.

Os especialistas de Saúde Pública não esperam uma redução de mortes em junho, já que não houve nada de novo para apontar a um declínio da curva.

POUCAS VACINAS

Drive-thru de vacinação em Assunção. Poucas vacinas, poucos paraguaios imunizados. Foto Agência IP

A melhor prevenção contra a covid-19, a vacinação, segue lentamente. Somente 315 mil paraguaios receberam a primeira dose da vacina, o que representa 4,2% dos habitantes.

O percentual dos paraguaios já imunizados com duas doses só agora chegou a 1% da população.

Sobre a situação da covid no Paraguai, leia:

Paraguai sobe para 1º no mundo em mortes por covid

Claudio Dalla Benetta - H2FOZ

Cláudio Dalla Benetta é jornalista e repórter do H2FOZ. e-mail: [email protected] Veja mais mais conteúdo do autor.

Gostou do texto? Contribua para ampliar o jornalismo em Foz do Iguaçu. ASSINE JÁ

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.