Ecomuseu vai passar por revitalização e abrigar o Polo Astronômico

O Ecomuseu da Itaipu Binacional vai passar por uma revitalização completa, com obras de reforma e ampliação, e reforçará seu papel na educação ambiental, valorização da cultura, desenvolvimento tecnológico e preservação da memória regional.

As mudanças também visam a impulsionar a visitação turística do espaço, que ganhará novas atrações.

Uma das novidades será o Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, que deixará o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), onde está instalado atualmente. No Ecomuseu, o atrativo vai ganhar sala de projeção e um telescópio novo e mais potente.

As novidades foram anunciadas nesta terça-feira (20), na comemoração dos 33 anos do Ecomuseu, em cerimônia com a presença do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna; de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell;  jurídica, Mariana Favoreto Thiele;  administrativo, almirante Paulo Roberto da Silva Xavier; e financeiro, almirante Anatalício Risden (financeiro).

Para Silva e Luna, Ecomuseu é espaço aberto à comunidade com olhar para o futuro. Foto Sara Cheida

“O Ecomuseu é um espaço dedicado à história da Itaipu e da região, e uma vitrine das ações socioambientais da empresa. Ao mesmo tempo, é um espaço aberto à comunidade com um olhar para o futuro. Quando os jovens aprendem sobre o passado, passam a valorizar e se responsabilizar pelo futuro”, afirmou Silva e Luna.

Os projetos preveem novas fachadas e entrada de visitantes, construção de prédio anexo para exposições e ações educativas, loja de suvenires, bistrô com produtos regionais e um auditório para 150 pessoas.

Grande parte do acervo dos programas de energias renováveis de Itaipu será transferida para o local, em um espaço dedicado à educação, ciência e tecnologia. Entre eles, os protótipos elétricos desenvolvidos pela Itaipu, como o primeiro avião elétrico da América Latina.

O prédio atual do Ecomuseu também passará por reformas estruturais, com adequações para acessibilidade universal, modernização de banheiros e guarda-volumes.

Os projetos estão em fase de finalização pelo Parque Tecnológico Itaipu e a previsão é que as obras comecem em meados de 2021, com 36 meses para a conclusão. O investimento estimado é de R$ 13 milhões.

O diretor de Coordenação, Luiz Felipe Carbonell, lembrou que o Ecomuseu foi criado em outubro de 1987 com o objetivo não apenas de preservar a história da usina de Itaipu, mas também valorizar o patrimônio cultural da região e promover ações de sustentabilidade.

Segundo ele, a revitalização anunciada nesta terça-feira reforça o papel do Ecomuseu como espaço educativo, ajuda a fomentar o turismo, principal vocação econômica de Foz do Iguaçu, e contribui para o desenvolvimento regional, conforme estabelece a missão estratégica de Itaipu.

Para Carbonell, Ecomuseu é um complexo educacional e turístico. Foto Sara Cheida

“O Ecomuseu é muito mais que um museu. É um complexo educacional e turístico que contribui com a missão da Itaipu, que é cuidar de seu território de uma forma sustentável, contribuindo com a geração de energia. E, com essa ampliação, vai se transformar numa das estruturas mais modernas e tecnológicas do Paraná e do Brasil”, afirmou.

Websérie e guias pedagógicos

Na cerimônia desta terça-feira, também foi feito o lançamento da websérie “Conhecendo o Ecomuseu” e do kit “Guias pedagógicos da Itaipu Binacional”.

A websérie tem quatro episódios, totalizando 45 minutos, com visitas guiadas às salas de exposição, entrevistas com antigos empregados de Itaipu, animações e ainda revelam os bastidores do trabalho técnico dos profissionais. Os vídeos estão disponíveis no canal do Youtube da Itaipu:  youtube.com/user/itaipubinacional

O kit “Guias pedagógicos de Itaipu” contém material de apoio às visitas institucionais ao próprio Ecomuseu, à usina hidrelétrica e ao Refúgio Biológico Bela Vista, além de informações sobre os programas socioambientais desenvolvidos pela empresa.

O conteúdo foi produzido em parceria com o setor de Educação e Ciência do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e será distribuído em instituições de ensino do Oeste do Estado.

Durante a solenidade, o general Silva e Luna entregou exemplares do kit às professoras Rosana Aparecida Leitão da Silva, diretora da Escola Municipal Padre Luigi Salvucci, e Berenice Costa Ferreira, coordenadora da Escola Municipal Ademar Marques Curvo, que representaram o setor educacional municipal no evento.

O diretor-geral brasileiro entregou kits a Berenice Costa Ferreira (foto à esquerda) e a Rosana Aparecida Leitão da Silva.

 

error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.