Pablo Escobar, o maior traficante da América Latina, também turistou nas Cataratas do Iguaçu

H2FOZ – Cláudio Dalla Benetta

Quem diria que o maior traficante da América Latina já visitou as Cataratas do Iguaçu, com mulher e filho pequeno? E o mais interessante,- ele conheceu nossa maravilha pelo lado brasileiro, para decepção dos argentinos.

O portal argentino Misiones on Line traz uma matéria sobre a visita, com base nas fotos publicadas nas redes sociais pela viúva de Pablo, Victoria Eugenia Henao.

A visita ao Parque Nacional do Iguaçu foi em 1982, quando “Patrón”, como depois foi chamado, tinha 31 anos. A mulher tinha 20 e o primeiro filho, Juan Pablo, 5 anos.

Aos 20, mãe de um menino de 5 anos? No Facebook, quando se apresenta, Eugenia diz que se casou com Pablo Escobar aos 15 anos e, com ele, teve Juan Pablo e, depois, Manuela. Depois da morte de Pablo, ela mudou-se da Colômbia para a Argentina, onde vive atualmente, com novo nome legalmente assumido: María Isabel Santos Caballero.

Na época da vinda a Foz do Iguaçu, Escobar já era traficante, mas ainda não o “Patrón” que enfrentou e corrompeu governos, detonou um avião inteiro para matar um político e se tornou um bilionário da noite pro dia.

O chefe do cartel de Medellín apoiado sobre um parapeito, vestindo o mesmo suéter branco com listras vermelhas, observa a esplêndida vista que oferece as Cataratas compartilhadas por Brasil e Argentina. No que pensava o “Patrón”?

A vida de luxo terminou em 1993. Na fazenda do traficante, havia um zoológico com animais exóticos – elefantes, zebras, girafas, dromedários, búfalos, cangurus, flamingos, avestruzes e quatro hipopótamos – que foram trazidos à Colômbia a um custo de US$ 5 milhões. Pra ele, insignificância.

Ao contar sobre a visita de Escobar às Cataratas, o Misiones on Line levanta uma dúvida: será que ele passou também ao lado argentino? Não se sabe. A viúva, sim, esteve em Misiones, em julho deste ano.

Na foto da visita às Cataratas, Victoria Eugenia registra nas redes sociais: “Nesse momento nossas vidas eram normais e não sofríamos as sequelas da guerra”.

Misiones on Line lembra que “El Patrón” ficou bilionário ao criar uma rede de produção e tráfico de cocaína para os Estados Unidos. Era uma linha de fabricação e distribuição.  Ele se abastecia de matéria-prima na Bolívia e no Peru, elaborava a cocaína na Colômbia e a entregava em território americano.

Escobar nasceu em dezembro de 1949, perto de Medellin, e iniciou sua carreira como contrabandista ainda nos anos 1960. Cerca de 20 anos depois, entrou no mundo do narcotráfico, tornando-se o homem mais poderoso da Colômbia e o mais audacioso.

O Misiones on Line conclui o texto assim:

“Muitos desportistas, famosos, cientistas, políticos visitaram em mais de uma oportunidade as Cataratas do Iguaçu, localizadas em Puerto Iguazú, Misiones. Por que o chefe da droga perderia a oportunidade de conhecer uma das maravilhas do mundo?”

Pois é, mas conheceu as Cataratas do Iguaçu por Foz do Iguaçu, Paraná, para tristeza do pessoal do Misiones on Line.

A viúva lançou este livro, com edição também em português. Deve ter boas histórias. Do Facebook
error: O conteúdo é de exclusividade do H2Foz.